Notícias - Thais Iervolino - Educação&Participação

68% dos alunos de escolas de tempo integral no Rio de Janeiro aumentaram seu interesse pela leitura, diz pesquisa

De acordo com uma avaliação feita pela Fundação Itaú Social e publicada nesta semana, 68% dos alunos que estudam em escolas do Programa Escolas de Tempo Integral, da capital fluminense, apresentaram maior interesse pela leitura.

A pesquisa foi iniciada no final do primeiro ano de implementação do programa, em 2011, e acompanhou os grupos de estudantes por dois anos, entrevistando 2.400 famílias de alunos do 4º ano (30 escolas) e do 8º ano (24 escolas) de todas as coordenadorias regionais de Educação do município do Rio de Janeiro.

Além dos dados sobre interesse de leitura, o estudo também avaliou o desempenho escolar dos alunos, medido em relação à taxa de aprovação e ao desempenho em Matemática e Língua Portuguesa, com base nas informações disponíveis na Prova Rio (avaliação externa de desempenho aplicada aos alunos do 3º, 4º, 7º e 8º anos da rede municipal de ensino do Rio de Janeiro).

Clique na imagem para ver a apresentação da pesquisaDe acordo com a avaliação, nas escolas que antes atuavam em tempo parcial, houve uma melhora expressiva nas notas de Matemática e de Língua Portuguesa dos alunos de 4º ano que estavam abaixo da média – aumento médio de 4,8 pontos em cada uma dessas disciplinas. No mesmo grupo escolar, para os alunos de 8º ano, registrou-se uma melhora significativa nas notas de Matemática para os alunos acima da média (2,7 pontos), além de aumento na taxa de aprovação (4,0 pontos percentuais). Em relação às escolas que anteriormente atuavam em regime integral, houve um aumento de 5,0 pontos percentuais na taxa de aprovação, sem evidência de um impacto direto no desempenho escolar. Em contrapartida, para o 8º ano, foi verificada uma queda média de 5,7 pontos nas notas de Matemática dos alunos dessas escolas.

“Os resultados do Programa Escolas de Tempo Integral são um grande passo para reforçar os impactos almejados por ações estruturadas em educação integral e refletem a importância de levar em consideração o contexto escolar no desenho e na implementação das ações”, afirma Antonio Bara Bresolin, coordenador de Avaliação Econômica de Projetos Sociais da Fundação Itaú Social. “Os resultados concretos e tangíveis dessa avaliação econômica reforçam a necessidade de se investir em programas que valorizem a ampliação de tempos, espaços e conteúdos educacionais”, completa.

 

Sobre o Programa Escolas de Tempo Integral

Iniciado em 2011, o Programa Escolas de Tempo Integral pressupõe a ampliação da carga horária diária para sete horas, e introduz uma matriz curricular diversificada nas escolas participantes. São duas horas destinadas a diversas atividades complementares, como oficinas de artes, esporte, cultura e reforço escolar.

 

Assessoria de Educação Integral

Em 2014, a Fundação Itaú Social e o Cenpec realizaram uma assessoria técnica ao Programa, cujo objetivo era contribuir para o fortalecimento dos processos formativos de professores em relação à educação integral. Saiba mais sobre essa experiência.  Clique aqui.

Tagsavaliação, escola, políticas de educação integral, políticas públicas, rio de janeiro, tempo integral

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)