Entrevistas - João Marinho - Prêmio Itaú-Unicef

Entrevista: “Usamos a música como fio condutor para questões inerentes à vida”

Projeto Batucadeiros, um dos finalistas da 11ª edição do Prêmio Itaú-Unicef, recebe convite da Universidade de Örebro para ensinar percussão corporal na Suécia. Em entrevista à plataforma Educação&Participação, Alceu Avelar, do Instituto Batucar, conta como foi a experiência e o que a sua prática traz de aprendizagem na perspectiva da educação integral

 

Percussão corporal no Projeto Batucadeiros. Clique para ampliar. Foto: Fotossíntese/Oswaldo Reis.
Percussão corporal no Projeto Batucadeiros. Clique para ampliar. Foto: Fotossíntese/Oswaldo Reis.

O corpo é o instrumento com o qual já nascemos. Com essa proposta, o Projeto Batucadeiros introduz a música nas aprendizagens de cerca de 80 crianças, adolescentes e jovens do Recanto das Emas, região administrativa do Distrito Federal, na perspectiva da educação integral – e com uma inovação: a prática da percussão corporal, que, além de possibilitar o acesso à música, ainda se converte em uma alternativa à falta de instrumentos e estimula a conexão e o cuidado com o corpo e com o mundo.

A ação socioeducativa foi vencedora da categoria pequeno porte da Regional Goiânia da 11ª edição do Prêmio Itaú-Unicef, em parceria entre o Instituto Batucar e o Centro de Ensino Fundamental 113. Recentemente, ganhou projeção internacional ao receber um convite da Universidade de Örebro, que fica a 160 km de Estocolmo, para apresentar a técnica da percussão a cerca de 1,5 mil crianças, sendo pelo menos 150 refugiadas da Síria.


“O corpo humano é um instrumento pessoal e um instrumento musical. A música é o fio condutor para outras questões que são inerentes a uma vida de conquistas pessoais.” 

(Alceu Avelar, Instituto Batucar)


O Instituto Batucar recebeu três visitas de representantes da universidade até o convite ser formalizado. A viagem aconteceu entre os dias 21 de outubro e 6 de novembro de 2016 e, de lá para cá, as relações entre a organização social brasileira e a Universidade de Örebro têm se fortalecido, inclusive com a proposta de implantar o projeto “Batucar Sweden”.

Quem relata esse processo é Alceu Alvelar, do Instituto Batucar, que conta ainda sobre seu envolvimento com a organização, a intencionalidade educativa por trás do projeto e a recepção que a tecnologia social obteve no Brasil e na Suécia após o convite. Confira na entrevista em áudio à plataforma Educação&Participação.

 

Bloco 1 – Alceu Avelar e o envolvimento com o Projeto Batucadeiros

Avelar tem um longo histórico com o Instituto Batucar. Ele entrou na organização como um dos tantos adolescentes atendidos pelo Batucadeiros até chegar à administração. Ouça como foi.

 

Bloco 2 – Intencionalidade educativa do Projeto Batucadeiros

“O corpo humano é um instrumento pessoal e um instrumento musical. Em meio a dificuldades de aquisição de instrumentos, criamos uma perspectiva de utilização do corpo: a música é o fio condutor para outras questões que são inerentes à vida saudável, a uma vida de conquistas pessoais”. Confira a intencionalidade educativa por trás da prática da percussão corporal nas palavras de Alceu Avelar.

> Aprofunde-se no tema da intencionalidade educativa assistindo ao debate virtual realizado pelo Prêmio Itaú-Unicef.

 

Bloco 3 – O convite da Universidade de Örebro

Além do Distrito Federal, representantes da Universidade de Örebro estiveram também em três estados brasileiros em busca de abordagens inovadoras que auxiliassem na implantação de um projeto socioeducativo na Suécia para atender crianças refugiadas sírias. A percussão corporal e o empoderamento propiciado pela prática – crianças e adultos são igualmente respeitados em sua liberdade de criação e expressão corporal – encantaram os pesquisadores, que então formalizaram o convite ao Instituto Batucar. Confira no relato de Avelar como tudo isso aconteceu.

 

Bloco 4 – Receptividade no Brasil e na Suécia e a importância do Prêmio Itaú-Unicef

O reconhecimento internacional propiciou ao Instituto Batucar um estreitamento das relações com gestores públicos e outras instituições, além da própria comunidade que o Projeto Batucadeiros atende.

Na Suécia, a receptividade não foi menos importante: “Estivemos na Suécia por uma semana inteira, de passagem nas escolas, realizando oficinas com resultados muito positivos. Finalizamos com três espetáculos apresentados a todos os alunos que estiveram nas oficinas, no teatro de uma das escolas. No total, apresentamos a percussão corporal a cerca de 1,5 mil crianças e adolescentes e depois fizemos mais apresentações no auditório da Universidade de Örebro para os brasileiros que residem na região e para a comunidade sueca que admira a cultura brasileira. Havia um amigo que joga capoeira, fizemos oficina para um coral, para os professores da rede de escolas e contribuímos para a dissertação de mestrado de Ricardo Amorim, presidente do Instituto, sobre o Projeto Batucadeiros”, comenta Avelar.

Ele destaca um exemplo da receptividade da prática por parte dos suecos: “Um casal de irmãos adolescentes veio falar conosco. O rapaz disse que poderia passar horas e horas treinando na guitarra que ele já tocava, mas que não conseguiria ter a vivência musical que teve conosco nos 40 minutos de oficina. Segundo ele, o momento de experimentação corporal possibilitou abrir seus horizontes musicais para compor e executar, enquanto a irmã comentou que muitas pessoas na Suécia precisavam dessa prática da percussão corporal, pois ela liberta a alma e renova o espírito. Foi muito gratificante ouvir isso!”. Quer saber mais e descobrir de que forma participar do Prêmio Itaú-Unicef foi importante no processo? Confira no áudio abaixo.

 

Saiba mais

  • Acesse a página do Projeto Batucadeiros na plataforma Educação&Participação.
  • Confira a manchete sobre a viagem no site do jornal Correio Braziliense, que inclui uma demonstração da percussão corporal.
  • Assista ao relato de Alceu Avelar sobre a visita na Suécia, feito no terceiro encontro presencial da Assessoria às Organizações e Escolas Parceiras do Prêmio:

 

> Clique na imagem para visualizar as fotos da viagem do Projeto Batucadeiros à Suécia
no Flickr do Prêmio Itaú-Unicef:

Projeto Batucadeiros na Suécia

Tagsações socioeducativas, Brasil, educação integral, experiências em educação integral, Instituto Batucar, parcerias, Prêmio Itaú-Unicef, Projeto Batucadeiros, Suécia

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado.