Notícias - Thais Iervolino - Políticas de Educação Integral

Assessoria e Guia: de olho na efetivação das políticas de educação integral em 2016

Assessorar estados e municípios na elaboração e implementação de diretrizes da educação integral, planejar e executar a formação de profissionais envolvidos na aplicação da proposta e acompanhar as propostas pedagógicas nas escolas e nas organizações da sociedade civil (OSCs). Essas são algumas das ações que a Assessoria às Políticas de Educação Integral vem desenvolvendo há cerca de quatro anos.

Em 2015, foram seis os locais de atuação. Neste ano, a iniciativa vai continuar em cinco municípios. São eles: Itabira (MG), Sobral (CE), Petrópolis (RJ), Porto Alegre (RS) e Vitória (ES). O intuito é aprofundar e ampliar as ações, seja na formação, na elaboração de diretrizes, seja no acompanhamento da execução dos planos de educação integral para, dessa forma, contribuir na implementação de políticas públicas de educação integral.

Guia – Para além dos locais de atuação específicos das assessorias, o Guia de Políticas de Educação Integral estará disponível a todos os gestores, técnicos e interessados em implementar a educação integral nos municípios e estados brasileiros.

Como subsídio de gestão na implementação de políticas de educação integral, respeitando as diversidades e especificidades de cada região e secretaria, a ferramenta on-line busca neste ano aprofundar um debate nacional entre gestores das secretarias de Educação, com a participação de estudiosos do assunto, sobre as concepções e práticas de educação integral existentes nos municípios, entre outras ações.

> Assista ao vídeo abaixo e saiba mais sobre o Guia:

>> Acesse o Guia, clique aqui.

 

Neste ano, estão previstas uma formação em Itabira (MG) e uma em Aracati (CE). O intuito é disseminar o conteúdo e a metodologia do Guia para técnicos e gestores do poder público desses municípios e também para as cidades do entorno de Itabira e de Aracati, totalizando 27 municípios atendidos em 2016.

 

Locais de atuação
Saiba mais sobre os objetivos das Assessorias às Políticas de Educação Integral em cada município:

ITABIRA (MG)

Além de continuar dando suporte técnico e pedagógico à secretaria na finalização do Plano Municipal de Educação Integral e fortalecer o comitê gestor do plano, a assessoria pretende colaborar com a pasta de Educação na promoção de encontros formativos para agentes educacionais envolvidos diretamente na execução da política e/ou programa de educação integral.

Também está prevista uma contribuição na qualificação do processo de escuta dos atores ao longo da implementação do Plano de Educação Integral, entre outras ações.

 

PETRÓPOLIS (RJ)

Neste ano, a assessoria vai apoiar tecnicamente a Secretaria de Educação do município na consolidação dos Núcleos de Educação Integral, responsáveis pelo atendimento aos estudantes, promovendo o desenvolvimento de grupos de discussão com adolescentes para ampliar sua participação na construção da política pública. Para tanto, serão realizadas atividades para sensibilizar os jovens (mapeamento do potencial educativo do território, discussões temáticas etc.), bem como atividades entre os jovens e os profissionais envolvidos na construção da proposta pedagógica.

Também está previsto o apoio da assessoria à efetivação de um fórum intersetorial que contribua para a política de educação integral por meio do envolvimento de representantes das diferentes secretarias municipais e dos Conselhos Comunitários da cidade.

 

PORTO ALEGRE (RS)

Atuando no município desde 2014, a assessoria prevê ações para o fomento das práticas pedagógicas e de gestão, qualificando e disseminando práticas que articulem o currículo e as atividades escolares com o trabalho realizado nas OSCs conveniadas com a Secretaria de Educação.

A iniciativa também vai contribuir com as equipes técnicas da secretaria na elaboração de um documento preliminar com as orientações curriculares para as escolas de Ensino Fundamental organizadas no âmbito da educação integral.

 

SOBRAL (CE)

Cidade educadora. Esse é o conceito que estará por trás das ações da assessoria em Sobral. Com base nele, a iniciativa vai promover Oficinas de Escuta e Formação para mobilizar jovens que já atuam em coletivos, conselhos, grêmios, centros acadêmicos, comunidades etc. para que fomentem em seus grupos a participação na construção das políticas de educação integral do município, além de multiplicarem a formação entre outros jovens, dialogando e incidindo nos espaços formais e informais de participação.

Além de promover a participação juvenil na implementação dessas políticas, a assessoria também prevê mapear as políticas públicas de juventude, fomentar a realização de ações intersetoriais em 2016, organizar um encontro de avaliação, consolidação e implementação do Plano de Educação Integral e sistematizar a experiência.

 

VITÓRIA (ES)

A capital capixaba vai contar, neste ano, com uma assessoria voltada para a construção e efetivação de um programa de formação dos coordenadores de educação integral a fim de contribuir para a articulação das ações pedagógicas.

Está previsto o apoio da assessoria à secretaria municipal na construção e consolidação de uma proposta de acompanhamento pedagógico articulada com os diferentes profissionais da secretaria e das escolas participantes do Programa de Educação Integral. Além disso, contribuirá com a equipe técnica da pasta para a construção de uma proposta de participação juvenil relacionada à educação integral em uma escola que passará a funcionar por “ciclos”, a fim de garantir o envolvimento efetivo de crianças, adolescentes e jovens nessa proposta pedagógica.

>>> Saiba mais sobre as assessorias e o Guia de Educação Integral, clique aqui.

 

Tagsgestão, parceria, políticas de educação integral, políticas públicas

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 3 comentário(s)

  •    Benedito Félix da Silva filho  em 
         Educação&Participação respondeu em 
  •    Elisabete M. Alves  em 
         Educação&Participação respondeu em 
  •    Cláudia Aparecida Braga de Oliveira  em