Capão Redondo: uma nova perspectiva por meio das experimentações

Jovens fazem pose de modelos para fotos, enquanto outros analisam os últimos detalhes da apresentação. Algumas meninas tiram fotos, outras trocam conversas. Assessores de experimentações deixam tudo preparado. Assim começou o 2º Encontro do Programa Jovens Urbanos no Capão Redondo, durante a tarde da última sexta-feira de agosto (31).

Com o intuito de dar visibilidade às produções realizadas durante as experimentações dos jovens, o encontro lotou o anfiteatro da Fábrica de Cultura do Capão Redondo. Desfile de moda, explanação sobre como estampar camisetas e apresentações de música, teatro e desfile de moda fizeram parte da programação.

“O resultado que a gente mostra aqui foi melhor do que eu imaginava. O fato de eles poderem escolher qual experimentação querem fazer propiciou um melhor aproveitamento das atividades e fez com que houvesse uma troca maior entre mim e os alunos”, explica Marcos Paulo batista de Melo, assessor da Oficina de Estilo, que buscou promover uma interação maior dos jovens com a moda, mostrando o quanto a moda reflete no dia-a-dia, como expressão cultural.

Jovem mostra como fazer uma    estampa, durante encontro
Jovem mostra como fazer uma
estampa, durante encontro

Para André Fernandes, um dos assessores da experimentação Estampador SP Urbano, a experiência foi importante não só pela produção das camisetas, feita durante as atividades. “O balanço foi altamente positivo. Pudemos agregar uma nova proposta que, além de fabricar novas camisetas, trouxe um novo ambiente aos jovens. Metade deles nunca tinham ido ao centro e, por causa da experimentação, pudemos circular no Teatro Municipal e na galeria do rock para comprar o material. O maior valor foi poder aprender uma nova possibilidade de renda e da arte de cada um e levar outra perspectiva de mundo”, relata.

Veja o vídeo sobre a visita dos jovens à Galeria do Rock:

Para além da escola e do território

Um dos grupos que ajudaram a realizar o encontro foram os jovens que participam do programa por meio da Escola Estadual João Silva.

Para Tamires oliveira da Silva, aluna da escola e participante do Programa, o Jovens Urbanos a ajudou a ir além da do seu cotidiano. “O Jovens urbanos é algo que te mostra o que tem além dos muros da escola, da comunidade. Ele mostra, por exemplo, que o grafitte não é errado, não é proibido e que todo mundo pode curtir”, explica.

Para Yara Karina Cunha Brás, outra aluna da escola, o programa é uma oportunidade de conhecer São Paulo. “Ele é uma oportunidade que temos de ir além do Capão, de conhecer coisas novas, fazer amigos, conhecer São Paulo. Gostei dos prédios do centro da cidade, que nunca tinha ido”, conta.

Esta é a primeira edição que o Jovens Urbanos realiza dentro de uma escola de São Paulo. Por meio da organização Comunidade Cidadã, parte dos participantes do Programa realizam atividades na Escola Estadual João Silva.

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)