Notícias - João Marinho - Jovens Urbanos

Diálogo com o território e atenção às demandas da comunidade são destaques dos projetos de jovens no Rio de Janeiro

Participantes da 2ª edição do Programa Jovens Urbanos no Rio de Janeiro apresentam seus projetos em bancas realizadas nos dias 19 e 21 de setembro

“Os Projetos Jovens apresentados no Rio de Janeiro foram bem diferentes entre si, mas todos possuem um elemento comum, que é o de atender a uma demanda da comunidade. Temos, por exemplo, um projeto de revitalização de uma rádio escolar, de reforma de uma quadra que, na verdade, é um espaço de integração entre a comunidade e a escola, e outro de revitalização de um ambiente por meio do grafite – ambiente este degradado pela violência, até mesmo com marcas de bala. Esse aspecto do diálogo com o território e as necessidades da comunidade foram bem presentes”. A avaliação é de Sergio Pereira, gerente de Projetos do Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (Cieds), organização parceira do Programa Jovens Urbanos na 2ª edição realizada este ano no Rio de Janeiro.

Pereira refere-se à apresentação dos Projetos Jovens nas bancas de projetos que ocorreram nos dias 19 e 21 de setembro, nas sedes de duas escolas públicas e das organizações da sociedade civil (OSCs) executoras do programa localizadas nos territórios atendidos pela edição – os bairros de Vila Kennedy, Realengo e Deodoro.

A banca é uma estratégia formativa do Jovens Urbanos em que os participantes apresentam suas propostas a especialistas e convidados, são avaliados e recebem orientações e dicas de implementação. Já os Projetos Jovens em si são uma estratégia do processo formativo, que tem o objetivo de criar oportunidades para que os jovens exercitem os conhecimentos vivenciados nos processos formativos anteriores do Programa e promovam intervenções em suas comunidades, estimulando a relação com o território, o mundo público e o bem coletivo na perspectiva da educação integral.

“A banca de projetos é uma metodologia importante de formação. Ao mesmo tempo que exige a capacidade do jovem de se comunicar e apresentar uma proposta clara e objetiva a um grupo de profissionais, também permite que eles exercitem a escuta para absorverem as contribuições dos membros da banca para que possam aprimorar e ajudar a implementar o Projeto que fizeram”, explica Fernanda Andrade, da equipe do Cenpec responsável pela coordenação técnica do Jovens Urbanos.

Entre os convidados para integrar as bancas, estiveram representantes da Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro; da Universidade Castelo Branco; do Cenpec, do Canal Futura; do Conselho de Moradores da Vila Kennedy e do Instituto Alana, entre outras organizações.

Confira a seguir todos os projetos. No dia 29 de outubro, o resultado dessa produção será apresentado no espaço do Centro Comunitário Irmãos Kennedy.

Organização executora: Instituto Bola pra Frente
Território: Deodoro
Educadora: Mariana Muniz

Dreammuro
A proposta é promover uma ação cultural no Complexo do Muquiço por meio do grafite, com o envolvimento de artistas voluntários da comunidade – e utilizar a arte para estimular o empoderamento, apresentando reflexões e soluções para quem busca seguir a via artística. Os muros que serão grafitados ainda contribuirão para um ambiente mais agradável na região. Jovens: Bruno (BR), Igor (Izy), Lucas (Zamp). Assista ao vídeo:

 

Geladeira Cultural
O projeto se propõe a incentivar a leitura a crianças, adolescentes e jovens, ao mesmo tempo que contribui para reduzir o analfabetismo funcional. Os jovens do projeto levarão livros para um evento no Complexo do Muquiço e demonstrarão que a leitura pode ser realizada em qualquer lugar, pois a comunidade tem dificuldade de acesso a bibliotecas públicas e outros serviços semelhantes. Jovens: André Braga, Lucas Moacy, Nayara Gomes, Luiz Henrique, Danielle Costa, Rafaela Muquet, Marlon, Caio, Ana Caroline, Rafael Ramos, Daniel Ferreira, Gabriel Morais.

Pirâmide do Conhecimento
A proposta do projeto é capacitar os jovens do Complexo do Muquiço para a inserção no mundo do trabalho, instruindo-os sobre como se comportar em uma entrevista de emprego. A formação deve ser ministrada por professores para 50 jovens em busca do primeiro emprego. Jovens: Beatriz Coimbra, Nayara Diniz, Yuri Oliveira, Mayke Baptista, Allan Duarte, Marcos Vinicius, Gabriel Aguiar, Amanda Mendes, Michelly dos Santos, Giulyana de Jesus, Ygor Costa, Gabriele Fersura.


“Tenho jovens universitários que estão em períodos muito avançados na faculdade, mas não conseguem elaborar e nem montar um projeto. Estão todos de parabéns, e no caminho certo.”

(Marcello Senna, da Universidade Castelo Branco)


Organização executora: Centro Comunitário Irmãos Kennedy (CCIK)
Território: Vila Kennedy
Educadora: Verônica Martins

Movimento Verde
Depois de uma visita exploratória à Creche Comunitária Nino, fundada em 1987, e de uma aula de experimentação de horta urbana, os jovens se propuseram a mobilizar a comunidade e ensinar as pessoas a reciclar, plantar, cuidar e colher os alimentos de uma horta que será criada no local. Além disso, aproveitarão o projeto para estimular a conscientização sobre meio ambiente e nutrição mais saudável. Jovens: Brenda, Caroline, Douglas, Emanoelly, Miguel, Pablo, Thaís, Thaynara.

Músicos do Amanhã
A proposta do projeto é realizar oficinas para apresentar e ensinar música à comunidade. Por meio dessa arte, os jovens ainda se propõem a constituir um espaço de convivência, de formação para a cidadania e de desenvolvimento do protagonismo em crianças e adolescentes, seu público-alvo. As atividades serão pautadas em experiências lúdicas e culturais. Jovens: Allan Gustavo, Carol, Juliene, Pablo dos Santos, Ianca, Matheus Ferreira, Waldemir Nogueira.

USB Lixo Eletrônico
O objetivo do projeto é conscientizar jovens e adultos sobre o descarte incorreto de lixo eletrônico. As ações incluem promover encontros e palestras sobre o assunto, criar páginas para a divulgação, visitar escolas e associações. Além disso, os jovens farão uma reflexão com a comunidade sobre o consumismo e os benefícios e malefícios da evolução tecnológica acelerada. Jovens: Matheus Thomas, Waldemir Silva, Antônio Thiago Frazão, Vitória Maria Araújo Gomes, Maria Eugênia Rangel Silva, Andressa Carvalho, Roger Soares Ferreira.


“O projeto de música é uma homenagem a um amigo que, desde criança, tem esse sonho. Acreditamos que a fase ruim que ele está atravessando é coisa de momento e que, se apresentarmos nosso projeto para ele e mostrarmos que faremos o sonho dele virar realidade, podemos trazê-lo de volta.”

(Ianca, jovem do projeto Músicos do Amanhã)


Organização executora: Escola Parceira
Território: Realengo
Educador: Álvaro Peixoto

Cinedebate – Bullying e Racismo
Para abordar o problema do racismo e do bullying, a proposta dos jovens é realizar duas sessões com filmes sobre esses temas no Centro Integrado de Educação Pública (Ciep) Oswaldo Aranha e depois promover um debate entre alunos e moradores do entorno da escola. O objetivo é diminuir os casos de preconceito e discriminação na zona oeste do Rio de Janeiro por meio de um trabalho de conscientização e, ao mesmo tempo, oferecer opções de cultura à comunidade. Jovens: Paulo Roberto, Ester da Hora, Larissa Cristina, Thais Souza, Luiz Antonio de Avelar Blanco, Suelen Santos da Silva, Bianca da Silva.

Intervenção Cultural: a Música, a Dança e o Teatro
A ideia dos jovens é realizar um evento que amplie e estimule o conhecimento dos convidados por meio da cultura e da arte, com atividades de teatro, dança e música. Além de oferecer um espaço cultural à escola e à comunidade, o projeto também focaliza a interação do público, com sessões de bate-papo, competição de passinhos e apresentação de bandas musicais. Jovens: Michel Moreno, Matheus Oliveira, Jadson Correia, Jemima Batista.

Revitalizando a União entre a Escola e a Comunidade
O projeto tem o objetivo de reformar a quadra poliesportiva do Ciep Oswaldo Aranha, considerada um ponto de referência e sociabilidade para as comunidades do entorno. Além disso, há a proposta de fazer grafite na quadra e torneios de futebol, handebol e basquete para inaugurar o espaço reformado, melhorando a infraestrutura da escola e criando um novo espaço de lazer. Jovens: Davi Mathias, Giuliane Melo, Moisés Cristiano, Paulo Vinicios, Willian Munford, Eros Adriano, Emanuelle Braga, Gabriel dos Anjos, Sarah Santos.


“Nas bancas, instigamos os jovens a ampliarem as propostas, pensarem em outras possibilidades – e eles fizeram ótimas apresentações, que muito nos impressionaram. Além disso, os projetos dialogam muito com a ideia de parceria: quase todos já traziam alguma parceria com instituições, entidades, veículos de comunicação em andamento ou prevista.”

(Fernanda Andrade, do Programa Jovens Urbanos)


Organização executora: Escola Parceira
Território: Realengo
Educadora: Lisyanne Ribeiro

Conhecendo nosso Parque
A interação e o contato com a natureza estão na base do projeto, que pretende estimular os jovens da comunidade a se apropriarem de atividades de lazer que acontecem em seu território, como o rapel que ocorre aos domingos na Estrada do Catonho. Além de disseminar e compartilhar informações sobre pontos turísticos na zona oeste do Rio de Janeiro, o projeto propõe a realização de uma saída para o Parque da Pedra Branca, que tem sido pouco visitado pelos moradores da região, apesar da sua proximidade. Jovens: Matheus Kelly, Lucas Machado, Felipe Guma.

Inovart
O projeto visa transformar a maneira como os jovens se identificam com o auditório da escola, realizando uma reforma para tornar o ambiente mais agradável. Além disso, propõe-se articular o espaço reformado com outros projetos existentes na escola, como aulas de dança, saraus, coral e outros, para que eles aproveitem melhor as qualidades do auditório. Jovens: Stefany Alves, Sarah Gomes, Giulia Gomes, Jean Francisco, Gabriely Feitosa, Gabrielle Cristine.

Mulheres em Ação
Os padrões de beleza e comportamento impostos às mulheres são a preocupação desse projeto, que tem a proposta de valorizar a diversidade feminina e empoderar as mulheres da comunidade, em sua maioria negras. As ações preveem, entre outras coisas, customização de roupas, gravação e publicação de vídeos sobre preconceitos sofridos por mulheres e um desfile com mulheres de diferentes perfis. Jovens: Jamilli Chaves Marques, Damiris da Silva Santos, Emmanuelle Gomes, Joyce Santos, Julia Nunes, Rayane Maria de Oliveira, Thalia Cristynah A. da Silva, Giovanna Lovatti.

O grupo tem uma página no Facebook na qual aborda a temática do projeto. Confira aqui.

Rádio Papo Reto
Os jovens se propõem a montar uma estação de rádio na escola com o equipamento já existente, mas subutilizado. A ideia é melhorar a comunicação interna e estimular a reflexão e o senso crítico dos demais alunos. Para isso, a proposta é criar uma programação para discutir temas como juventude, educação e política e, além de tocar músicas, transformá-la em um canal de informação sobre as atividades da escola. Jovens: Mateus Felipe, Paulo Sergio, Marcos, Aline, Jade.

> Saiba mais sobre a 2ª edição do Programa Jovens Urbanos no Rio de Janeiro na entrevista da plataforma Educação&Participação com Sergio Pereira.

Tagscomunidade, educação integral, jovem, juventude, OSC, projeto, rio de janeiro, território

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 1 comentário(s)

  •    Luiz Carlos  em