Notícias - Mariana Lourencinho - Prêmio Itaú-Unicef

Formações do Prêmio Itaú-Unicef começam em maio

As inscrições são gratuitas e abertas ao público: educadores, gestores e pessoas interessadas em educação e na infância estão todos convidados a participar

“Aprender não é fácil, e no começo da minha vida escolar eu tive bastante dificuldade de aprender a ler e escrever. Mas foi uma professora que, com bastante dedicação, me fez ver que eu era capaz, e isso fez toda a diferença na minha vida”, conta Valquíria Moraes, presidente do Núcleo de Apoio ao Pequeno Cidadão – organização da sociedade civil (OSC) que, desde 2012, desenvolve ações socioeducativas com crianças, adolescentes e famílias em situação de vulnerabilidade social em São Bernardo do Campo (SP).

Valquíria afirma que foi essa professora que a fez perceber a importância de os educadores terem um olhar especial para as potencialidades de cada criança e adolescente e, assim, oferecerem estímulos e oportunidades para que todos desenvolvam suas habilidades. Com o exemplo dessa educadora, ela trilhou sua carreira de psicopedagoga e escolheu seguir o mesmo caminho e atuar na OSC pelo desenvolvimento e garantia de direitos de crianças e adolescentes.

Assista ao vídeo que fala sobre a importância das ações de formação do Prêmio Itaú-Unicef: 

O Núcleo de Apoio ao Pequeno Cidadão participa do Prêmio Itaú-Unicef desde 2007 e, segundo Valquíria, a organização vem recebendo diversos ganhos por meio das ações do Prêmio. Para ela, as aprendizagens adquiridas estão presentes desde o preenchimento da ficha de inscrição, que possibilita a reflexão sobre a própria prática. “[O Prêmio] colaborou muito na estruturação do nosso trabalho com as crianças, com os educadores sociais, com as famílias, na gestão da instituição e, inclusive, no monitoramento de nossas ações”, diz.

Ainda segundo Valquíria, além de todo o conteúdo oferecido durante as ações de formação, o Prêmio contribui para o desenvolvimento institucional e o fortalecimento do projeto socioeducativo. “Participar das formações do Prêmio é fundamental, pois permite conhecer o trabalho que vem sendo desenvolvido em várias regiões do país e, assim, aprender com as melhores práticas e trocar experiências”, conta.

De acordo com Marcelo Bragato, da equipe técnica do Prêmio, a criação desse espaço de trocas é um dos pontos essenciais das formações e dos debates oferecidos a cada edição. Com base no que é debatido nesses espaços, é possível identificar os principais pontos de tensão e dificuldade dos agentes que atuam na garantia de direitos de crianças e adolescentes e, ao mesmo tempo, oferecer insumos para superar esses desafios.

Neste ano de 2016, o processo de formação transcorrerá de maio a novembro. O primeiro curso tratará da mobilização de recursos; os demais abordarão conteúdos relativos à ação da parceria entre OSC e escola pública na garantia dos direitos de crianças e adolescentes.

Além dos cursos, o Prêmio oferecerá, ao longo do ano, quatro debates on-line abertos ao público com temas diversos, tais como competências para o século XXI; intencionalidade educativa das ações socioeducativas; vulnerabilidades e fortalecimento de vínculos.

Inscreva-se!
Os interessados em participar das formações da 11ª edição do Prêmio Itaú-Unicef devem ficar atentos à abertura das inscrições. O primeiro curso acontecerá em maio, e em breve as inscrições serão abertas. Fique de olho! Para saber mais sobre o Prêmio, clique aqui.

Tagscurrículo, curso, debate virtual, educação integral, formação, organizações, OSC

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 7 comentário(s)

  •    NILCE FARIA CAMPOS  em 
         Educação&Participação respondeu em 
  •    Barbara Teixeira Santos  em 
         Educação&Participação respondeu em 
  •    Maria Odete Pinto Pauferro Lopes  em 
  •    Josenildo de S.Barbosa  em 
         Educação&Participação respondeu em 
  •    Márcia  em 
         Prêmio respondeu em 
  •    Márcia  em 
         Educação&Participação respondeu em 
  •    Marilene de sousa  em 
         Educação&Participação respondeu em