Notícias - João Marinho - Prêmio Itaú-Unicef

Inscrições abertas: representantes de organizações contam os ganhos de participar do Prêmio Itaú-Unicef

Reflexão e transparência; credibilidade; qualificação e valorização do trabalho; troca de experiências e possibilidade de atuação em redes. Esses são alguns dos inúmeros ganhos que as organizações da sociedade civil (OSCs) têm ao participar do Prêmio Itaú-Unicef além da premiação em si, que, na 11ª edição, pode chegar a R$ 250 mil [veja no box Premiação]. 


Credibilidade e reconhecimento

Mantido pela Associação de Pais, Mestres e Funcionários da Escola Municipal Anita Garibaldi, em Toledo (PR), o projeto Circo da Alegria começou a participar do Prêmio na 5ª edição (2003-2004), quando recebeu Menção Honrosa – o que estimulou a Associação a refletir sobre seu próprio projeto. “Passamos a enxergar a organização de uma maneira diferente. As questões colocadas pelo Prêmio são tão bem elaboradas que dão a oportunidade de fazer uma reflexão gigantesca sobre o trabalho”, conta a coordenadora Tânia Regina Piazzetta.

Para Tânia, os ganhos para as organizações também se traduzem em credibilidade e visibilidade – mesmo quando o projeto não é premiado. “Você sabe que concorre com outras tantas organizações. A gente fica na expectativa, mas, no processo, dividimos cada etapa com a comunidade, com os alunos, com o poder público. Garantimos credibilidade e visibilidade, e o fato de estarmos participando rendeu matérias de televisão, em jornais da nossa região. Quando recebemos Menção Honrosa, este foi um fator importante que agregou muito ao nosso projeto.” Em 2011, a Associação foi vencedora nacional na categoria microporte.

O Centro de Documentação e Comunicação Popular (Cecop), de Currais Novos (RN), já participou de duas edições do Prêmio. A organização é parceira da Escola Municipal Prof. Humberto Gama e foi vencedora nacional microporte em 2013. “Participamos de duas edições, em 2011 e 2013. Na primeira, ficamos entre os 20 selecionados na região Nordeste, e isso já é uma chancela positiva, já dá um reconhecimento perante outras instituições. Quando se ganha, então… É como ganhar a Copa do Mundo do terceiro setor: você é tratado com um diferencial que facilita o diálogo, o contato com o público, a imprensa e outras esferas da sociedade. É o reconhecimento de um trabalho que está dando certo, mesmo quando feito com poucos recursos”, conta Raimundo Melo, coordenador do Cecop.

Um dos resultados é que tanto equipe como comunidade se sentem valorizadas, diz Raimundo: “As pessoas que participam da organização se enchem de orgulho. Elas se motivam e reconhecem o Prêmio como delas também. A mesma coisa acontece com os parceiros. Até hoje, a escola exibe uma faixa dizendo que é parceira de uma organização que foi premiada”.

“As pessoas se sentem mais valorizadas”, concorda Tânia Regina. “Elas ajudam a construir o processo, a inscrição… Tudo é discutido com elas, com os pais. Eles se sentem participantes do Prêmio também – e isso valoriza a questão do ‘eu posso’, do ser persistente, não desistir. Eu mesma falava disso esta semana, quando incentivei outra organização a se inscrever.”

Para Raimundo, a novidade da edição deste ano, que também vai premiar as escolas, é por isso muito positiva: “Além de haver um maior aporte financeiro para realizarem suas atividades, as escolas também se verão mais como parte do processo”.

Premiação

Cada OSC e cada escola pública responsável pelo projeto socioeducativo premiado receberá:

Premiados regionais: R$ 25.000,00

Premiados nacionais: R$ 100.000,00

Grande vencedor: R$ 250.000,00


Troca de experiências: formação com parcerias

Com o reconhecimento e a motivação, abrem-se também oportunidades de contatar outras organizações e trabalhar com elas. “Existe uma troca de experiências e um contato que também acontecem nas formações, no ano seguinte ao ano de premiação. Vemos o que está funcionando, trocamos ideias. É maravilhoso esse conhecimento, essa troca de informação, que começa nos encontros presenciais e segue pelas formações a distância, no virtual. Hoje, temos amizades com organizações de vários estados e regiões. Pudemos visitá-las, conhecer seus trabalhos. Com o ICA [Instituição de Incentivo à Criança e ao Adolescente de Mogi Mirim (SP)], fizemos parceria. Antes, não éramos vistos por ninguém. Hoje, o Circo da Alegria faz parte da Rede Circo do Mundo Brasil”, conta Tânia Regina.

Articulação no território

Maria Isabel Somme, coordenadora do ICA, participou do debate virtual “Articulação no território pela garantia do direito à educação integral para todas as crianças e adolescentes brasileiros”, promovido pelo Prêmio Itaú-Unicef em 2014. Veja aqui como foi.

Raimundo destaca ainda o aspecto qualitativo das formações. “Ah, as formações são um outro prêmio! As pessoas não devem só pensar em finalistas e vencedores. Ao possibilitar essas formações, o Prêmio Itaú-Unicef dá uma enorme contribuição a três grandes necessidades do terceiro setor: reconhecimento e valorização do trabalho; recursos para executar as ações; e a formação dos quadros que trabalham em temas como a educação integral de crianças, adolescentes e jovens. As formações também possibilitam iniciar um diálogo e um trabalho em rede com outras instituições, do Brasil todo.”

Com inscrições abertas até o dia 25 de maio e o tema Educação integral: aprendizagem que transforma, o Prêmio Itaú-Unicef tem o objetivo de identificar, reconhecer e estimular parcerias entre OSCs e escolas públicas. Se o seu projeto for selecionado, tanto a organização como a escola serão premiadas. Inscreva-se até o dia 25 de maio.

> Dúvidas sobre a inscrição? Tire-as aqui.


Central de Atendimento
: de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h (horário de Brasília), pelo telefone 0800 701 7104 e pelo e-mail info@programapremioitauunicef.org.br.


Sobre o Prêmio

O Prêmio Itaú-Unicef é uma iniciativa da Fundação Itaú Social e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec). Foi criado em 1995 e, ao longo desses 20 anos, vem reconhecendo projetos socioeducativos que, articulados com escolas públicas, são voltados ao desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens.

Tagsatuação em rede, formação, inscrição, mobilizacao, participação social, premiação

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 3 comentário(s)

  •    Marlus  em 
         Prêmio Itaú-Unicef respondeu em 
  •    Rosselane Alves de Souza  em 
         Educação&Participação respondeu em 
  •    Rosselane Alves de Souza  em