Notícias - Danielle Próspero - Jovens Urbanos

Jovens apostam nos estudos para conquistar sonhos e planos profissionais

Centro Cultural Arte em Construção, sede do Instituto Pombas Urbanas, parceiro do Jovens Urbanos.
Centro Cultural Arte em Construção, sede do Instituto Pombas Urbanas, parceiro do Programa Jovens Urbanos. Clique para ampliar.

Apostar num negócio próprio, cursar uma faculdade ou investir numa formação que garanta um aperfeiçoamento profissional? Seja qual for o caminho escolhido, os jovens participantes da 11ª edição do Programa Jovens Urbanos em São Paulo (SP) garantem que continuar os estudos é um fator determinante, que não pode ficar de fora de qualquer um dos planos.

Micaele Silva, de 17 anos, por exemplo, faz teatro no Instituto Pombas Urbanas e pretende, ao terminar o Ensino Médio, fazer faculdade de História, uma formação que acredita ser essencial para a vida: “Para entender o que acontece hoje na nossa sociedade, a gente precisa refletir sobre a história, o que aconteceu antes. Os debates no Jovens Urbanos, inclusive, estimularam muito essa conexão e o entendimento da realidade”.

Para a colega Milena Silva de Lima, de 15 anos, a faculdade ainda está distante, já que faltam dois anos para que ela complete o Ensino Médio na E.E. Fernando Pessoa, no distrito de Cidade Tiradentes. Até lá, no entanto, além das aulas de teatro, a jovem investe no aprendizado de outro idioma, o espanhol, pois acredita que isso poderá ajudá-la em trabalhos de atuação, inclusive com pessoas de fora do Brasil. “Meu sonho desde criança é ser atriz e quero muito investir nisso. Em 2016, tive de me envolver em várias atividades e projetos e vi que consegui me relacionar muito bem com o público. Esse aprendizado é fundamental”, acredita.


“Para entender o que acontece hoje, a gente precisa refletir sobre a história. Os debates no Jovens Urbanos, inclusive, estimularam essa conexão.” 

(Micaele Silva, 17 anos)


 

Novos planos

Poesia do livreto "Remando contra a maré", de Lucas Barreto Lins. Clique para ampliar.
Poesia do livreto Remando contra a maré, de Lucas Barreto Lins. Clique para ampliar.

Para outros jovens, correr atrás dos sonhos é unir estudos e projetos pessoais e profissionais, com muita responsabilidade desde cedo. Isso inclui conseguir financiamento e apoio para as ações. É no que acredita Leonardo Souza Silva, de 18 anos.

O jovem faz teatro há três anos no CEU Inácio Monteiro, no bairro paulistano da Vila Clementino, e recentemente ingressou no curso técnico de teatro do Senac, na Lapa. Além disso, faz parte de três companhias teatrais e, com outros colegas, conquistou apoio para seus projetos pelo programa Valorização de Iniciativas Culturais (VAI), da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. Até agora, já foram três editais e estão preparando uma nova proposta para a próxima seleção.

“Vida de artista é assim, essa correria… mas eu quero continuar. É isso que eu quero fazer na minha vida. Estou estudando num local com pessoas que têm uma realidade totalmente diferente da minha, mas quero aprender muito e trazer o que aprender para o meu bairro”, planeja Leonardo.

O sonho de investir em uma carreira considerada “não tão comum” também faz parte dos planos de Lucas Barreto Lins, de 18 anos. O jovem quer ser escritor – e, desde agora, investe fortemente nesse caminho: fez cursos de contação de histórias, revisão gramatical e escrita de poemas. “Fui a alguns saraus e conheci poetas. Com isso, vi que ser escritor não é algo distante, é possível”, relembra.

Lucas já lançou um livreto com poemas – o Remando contra a maré – e agora se dedica a produzir outro livro, que pretende lançar ainda em 2017. Para conseguir recursos para a publicação, Lucas pretende começar a trabalhar e também preparar algumas atividades, como palestras sobre a importância dos saraus. “Eu vou conseguir!”, aposta.

 

> Fique ligado. As inscrições para a edição 2017 do VAI se encerram em 24 de janeiro. Saiba mais.

 

13220930_1096158307108854_8993918407587819434_nConfira também a entrevista
com Lucas Barreto Lins no site
Noticiário Periférico.

TagsCidade Tiradentes, educação integral, jovens, Jovens Urbanos

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 1 comentário(s)

  •    Madza Ednir  em 
         Educação&Participação respondeu em