Notícias - Thais Iervolino - Jovens Urbanos

Jovens Urbanos: comunidade precisa se apropriar dos centros socioculturais

Plano Participativo é estratégia usada para elaborar proposta de implementação de três equipamentos socioculturais em Santos

Contribuir para que a população se aproprie dos três centros socioculturais que estão sendo construídos no município de Santos (SP), fazendo com que as comunidades residentes nas proximidades se identifiquem e participem de forma mais ativa das ações que serão desenvolvidas nesses equipamentos.

Foi pensando nisso que o Programa Jovens Urbanos optou por implementar o Plano Participativo, metodologia já usada em outras edições e locais de atuação do Programa, como estratégia para assessorar a Coordenadoria da Juventude de Santos, ligada à Secretaria Municipal de Defesa da Cidadania, na construção de três centros esportivos nas localidades de Morro Penha, Vila Progresso e Vila Nova.

“O Plano Participativo tem como intuito articular e promover o trabalho em rede no território onde atuamos. Em nossas iniciativas no trabalho com jovens, sempre chamamos a comunidade e os atores para pensar juntos quais seriam as atividades envolvidas com os jovens e como cada um deles pode participar desse processo”, explica Mariana Mota, da equipe técnica do Programa Jovens Urbanos.

Para isso, desde o início deste ano, está sendo realizada uma série de ações que contou com uma análise de prospecção do território, para conhecer as lideranças locais e as demandas da população etc.; um encontro intersetorial com representantes de secretarias municipais da área de cidades, cultura e esporte; além de três encontros com a população para o levantamento das necessidades das comunidades do entorno onde estão sendo construídos os centros socioculturais.

Cerca de 70 pessoas participaram dos três encontros, que refletiram questões sobre poder público, educação e juventude. “A nossa proposta, ao realizar essas reuniões, é fazer com que essa população, que muitas vezes não têm fácil acesso à cultura e lazer em seus territórios, aproprie-se desses espaços, possa participar efetivamente não só de suas atividades, mas também consiga propor ações”, conta Mariana.

Dos três centros, a previsão é que um deles seja inaugurado ainda neste mês. A expectativa é que os outros dois sejam abertos à população até o fim do ano. “Após a realização dos encontros com as três comunidades, estamos elaborando um relatório que será entregue à Prefeitura de Santos e vai subsidiar a gestão em relação ao uso desses espaços”, diz ela.

Mais sobre a 3ª edição do Jovens Urbanos em Santos

Com a iniciativa da Fundação Itaú Social, sob a coordenação técnica do Cenpec, a 3ª edição do Programa Jovens Urbanos conta com parceria da Prefeitura de Santos, por meio da coordenadora da Juventude. Seu principal objetivo é assessorar os profissionais do grupo intersetorial da Prefeitura de Santos para desenvolver um projeto comunitário para a implementação de três equipamentos socioculturais em áreas de vulnerabilidade social no município.

“A nossa parceria com o município de Santos vem de 2014. Nas primeiras duas edições, realizamos encontros com equipes intersetoriais da Prefeitura Municipal de Santos para ajudar a elaborar as políticas de juventude do município. Neste ano, as ações foram um pouco diferentes porque uma das prioridades da Coordenadoria da Juventude foi pensar na implementação de três centros socioculturais na cidade de Santos, e nossa contribuição é justamente assessorar um plano para o melhor uso desses equipamentos”, explica Mariana Mota.

Tagsespaços de cultura, intersetorialidade, juventude, participação social, plano participativo, santos

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)