Jovens Urbanos diversifica parcerias locais em sua 9ª Edição

O trabalho com organizações, escola e coletivo será a marca do Programa para este ano em São Paulo

 

Há 10 anos atuando com organizações, poder público e escola para ampliar o repertório sociocultural dos jovens na perspectiva da Educação Integral, o Programa Jovens Urbanos traz novidades para a sua 9ª Edição em São Paulo: a ampliação de sua abrangência, possibilitando que jovens de distritos próximos à Brasilândia e o Capão Redondo participem do Programa; o fortalecimento da interlocução com educadores das instituições locais, por meio de articuladores locais; e a participação do coletivo Agência Popular Solano Trindade como parceiro local, diversificando o perfil de organizações que fazem parte da iniciativa.

Para Wagner Santos, responsável pela coordenação do Programa, o objetivo é permitir novas articulações nos territórios da Zona Sul e Norte da cidade. “Para este ano, estamos apostando na parceria inovadora com o coletivo Agência Popular Solano Trindade, pois, nos anos anteriores, só atuávamos com ONGs ou instituições locais. Na perspectiva de acompanhar as novas formas de organização da juventude, o Programa se aproximou de alguns coletivos. E para estrear essa aproximação, atuaremos com a Agência, que faz parte da União Popular de Mulheres do Campo Limpo. Eles têm um trabalho muito interessante, que envolve economia solidária, empreendedorismo juvenil, entre outras iniciativas”, destaca Wagner.

Iniciando seus trabalhos em 2011, o Coletivo Agência Popular Solano Trindade tem o objetivo de garantir a diversidade cultural na cidade e constitui-se a partir da organização União Popular de Mulheres que, desde 1987, busca fomentar ações na cidade de São Paulo que promovam a emancipação da mulher e a igualdade nas relações sociais. Entre os trabalhos realizados pela coletivo, destacam-se as ações de produção cultural, de economia solidária (por meio da criação do Banco Comunitário União Sampaio responsável pela circulação de uma moeda local, aceita em 40 estabelecimentos comerciais da região), o Núcleo de Convivência de Idosos, entre outras iniciativas.
Para Thiago Vinícius, articulador cultural da Agência Popular Solano Trindade, essa parceria vai gerar inúmeros resultados positivos para os jovens da região. “Será uma oportunidade para continuarmos com as ações que já desenvolvemos na localidade. A Agência Solano Trindade tem uma articulação expressiva na Zona Sul. Desse modo, vamos reunir os jovens do Programa e fazer com que eles conheçam as atividades da aldeia Tenondé Porã, os terreiros do Capão Redondo, os saraus de literatura marginal, entre outras iniciativas, no intuito de promover a diversificação cultural e a redescoberta da comunidade. Muitos jovens não conhecem o próprio bairro; por isso queremos promover essa interação, a paixão pela comunidade”, ressalta Thiago.

ONG + Escola

Além do coletivo, o Programa permanece com a articulação ONG e escola, iniciada na edição passada em São Paulo. A organização Comunidade Cidadã vai continuar a realizar suas atividades na Escola Estadual Professor João Silva, no Capão Redondo.

Para o educador Alan da Cunha, da Comunidade Cidadã, essa parceria gera resultados positivos para a organização, para a escola e para os jovens envolvidos. “No ano passado, atendemos mais de 60 jovens, o que resultou no planejamento e execução de cinco projetos, os quais foram geridos pelos jovens. Além disso, notamos uma significativa mudança em relação ao tratamento dado aos jovens por parte da direção (da escola) e da comunidade. A parceria abriu novos horizontes tanto para alunos quanto para a escola, permitindo outras formas de aprendizagem, de apropriação do território, entre outras conquistas”, afirma Alan.

ONGs

Na Brasilândia, o Programa continuará em parceria com as organizações locais. Uma delas é a ONG Associação Sócio Cultural Madre Teresa de Jesus. Para a Irmã Clara, da Associação Madre Teresa, a atuação com o Programa revolucionou a localidade, que não apresenta recursos culturais para a população. “No ano passado, no início do Programa, os jovens chegavam desanimados para os encontros; após as explorações pela comunidade, começaram a enxergar a região de um modo mais positivo, sem reclamar das condições adversas. Com certeza, isso foi fruto da parceria com o Programa, que pretendemos fortalecer neste ano”, diz.

Além dessa associação, o Programa contará com a participação, no distrito, do Instituto Alegria de Viver, da organização Casa Jesus, Amor e Caridade – Larzinho e da Associação Amigos de Pianoro.

Ampliação e fortalecimento das ações nos territórios

Seja por organizações, escola ou coletivo, os distritos de Brasilândia e Capão Redondo continuarão sendo o foco da atuação do Programa em sua 9ª edição. Porém, haverá uma ampliação no atendimento com a atuação junto à instituições que atuam em distritos vizinho, o que permite a participação de jovens de novos terriótios de atuação.

De acordo com Wagner, “A segunda inovação é o fortalecimento da interlocução com os educadores, por meio de dois articuladores locais (Dimas Reis, na Zona Norte e Maria Adalgiza Pinto, na Zona Sul), que irão ampliar a interação das ONGs e dos jovens com seus territórios”.

 

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)