Notícias - João Marinho - Educação&Participação

Jovens Urbanos: encontros em Minas Gerais ressaltam importância da escuta e do protagonismo juvenil

Cerca de 40 profissionais de escolas públicas e 27 jovens reúnem-se em atividades dos dias 25 a 27 de outubro a fim de contribuir para a educação integral voltada à juventude mineira.

 

img-interna-23v1Com uma parceria iniciada três anos atrás, quando foi assinado um termo de cooperação técnica entre a Fundação Itaú Social e a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais, o Programa Jovens Urbanos, em 2016, tem contribuído para a construção de uma política de educação integral para a juventude do estado, com coordenação técnica do Cenpec.

Nesse sentido, ao longo do ano, têm sido realizados encontros com profissionais de escolas públicas do Ensino Médio. Um deles acontece desde quarta-feira, 26 de outubro, e prossegue hoje, a fim de provocar a reflexão sobre a importância da escuta dos jovens. “Os profissionais que participam da formação do Jovens Urbanos em Minas são professores, diretores e técnicos da Superintendência Regional de Ensino que têm envolvimento com nove escolas em que o Jovens Urbanos desenvolveu atividades – Plano Participativo, experimentações e encontros públicos”, explica Lilian Kelian, integrante da equipe do programa.

Cerca de 40 profissionais estão participando do encontro nesses dois dias. Eles contam com atividades de desenvolvimento de estratégias de escuta que possam ser implementadas em suas realidades, além de terem hoje uma conversa com a secretária de Educação, Macaé Evaristo. A proposta é discutir a diversidade da juventude mineira e conhecer a perspectiva da Secretaria em relação à escuta.

Objetivos da formação de profissionais em MG:
· pesquisar as especificidades do público juvenil, tendo como referência sua diversidade cultural, étnica e socioeconômica;
· refletir sobre a necessidade e a possibilidade de escutar os jovens e analisar metodologias que promovam a participação juvenil;
· analisar as experiências do Jovens Urbanos nas nove escolas para compreender o potencial da participação juvenil na estruturação de propostas para o Ensino Médio, buscando contribuir para a construção de uma visão de educação integral para os jovens.

Protagonismo jovem

Outro destaque do encontro de hoje são as devolutivas das experimentações realizadas pelos jovens.

“No início de 2016, foram realizados encontros formativos com diretores e professores das nove escolas para alinhar a concepção de juventude e, a partir daí, foram realizados planos participativos em cada escola para, com os professores e diretores, abrir um canal de escuta para os jovens em cada uma. Quais eram os desejos desses jovens para aquela escola? Como os espaços daquela escola poderiam ser melhor aproveitados? Como envolver os outros alunos no desenvolvimento de atividades no contraturno escolar? No total, foram realizadas 39 oficinas de experimentação, com aproximadamente 600 jovens envolvidos”, conta Maria Brant, também integrante da equipe.

Agora será a hora de os profissionais analisarem os resultados dessas experimentações – e os jovens também tomaram parte nas atividades ocorridas durante a semana. No último dia 25 de outubro, 27 deles, três de cada escola, estiveram em um encontro para avaliar todo o percurso realizado até o momento.

> Saiba mais sobre a atuação do Jovens Urbanos em Minas Gerais.
> Conheça mais a respeito da estratégia dos Planos Participativos.

 

Fotos: Divulgação/Cedidas por Programa Jovens Urbanos.
Tagseducação integral, experimentacao, jovem, jovens, Jovens Urbanos, juventude, Minas Gerais, oficina, plano participativo

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 2 comentário(s)

  •    Maria AngelaVarella Cabral  em 
         Educação&Participação respondeu em 
  •    Antonio Bruno da Silva  em 
         Educação&Participação respondeu em