Notícias - Thais Iervolino - Jovens Urbanos

Jovens Urbanos reúne representantes de todos os territórios onde atua para construir ações de 2016

Planejar ações do Jovens Urbanos de forma participativa, recebendo recomendações de todos os territórios onde ele atua para formular intervenções para 2016. Foi esse o objetivo do 1º Encontro de Planejamento Estratégico do Programa, realizado nos dias 17 e 18 de novembro.

“Essa é a primeira vez que o planejamento é feito em todas as frentes. Nosso objetivo foi buscar recomendações para formular intervenções para 2016, analisando as diversas especificidades de cada território”, relata Wagner Santos, do Cenpec e responsável pela coordenação técnica do Jovens Urbanos.

Participantes de todos os territórios onde o programa atua discutem e propõe ações para 2016
Participantes de todos os territórios onde o Programa atua propõem ações para 2016.

De acordo com ele, as reflexões feitas durante o encontro nortearam questões que vão para além do próprio Programa. “As ações diretas do Jovens Urbanos estão sendo realizadas mais fortemente em São Paulo e no Rio de Janeiro. As outras entradas dizem respeito à formação de profissionais, modelos de gestão, processos colaborativos e políticas públicas com juventude. O que estamos trazendo para dentro desse planejamento são essas experiências, essas especificidades para termos um desenho para discutir juventude”, explica.

São Paulo, Caçapava, Praia Grande e Santos (SP) e Rio de Janeiro (RJ) são os municípios que trabalham com o Jovens Urbanos, além do Estado de Minas Gerais. Segundo Neusa Maria Santos Macedo, da Secretaria de Educação de Minas Gerais, que estava no encontro, a parceria entre o estado e o Programa tem sido muito importante. “Construímos um Grupo de Trabalho (GT) intersetorial para pensar na educação integral com jovens, no Ensino Médio. A partir daí foi possível construir um modelo de intervenção com a metodologia do Jovens Urbanos para fazer uma ação-piloto, que está sendo desenvolvida em duas escolas”, explica.

Ela relata que a metodologia do Jovens Urbanos foi fundamental para o trabalho com a juventude nas escolas. “Conseguimos trazer os professores que até então não tinham uma formação para o trabalho com a juventude. A metodologia do Jovens Urbanos nos ajudou muito, tanto na reunião e na escuta dos educadores, como em trazer outros profissionais, com outras linguagens, escolhidos por alunos, para trabalhar nas escolas. Em 2016, queremos estreitar essa parceria para ampliar o atendimento”, conta.

Ivonete Pereira dos Santos, coordenadora pedagógica da Escola Estadual Ruy de Mello, na Cidade Tiradentes, em São Paulo, acredita que os jovens que participam do Programa conseguiram ampliar seus horizontes. “Minha nota para o Jovens Urbanos é 10. Eles enxergam um mundo diferente, percebem agora que eles são capazes de aprender novas coisas. Na Cidade Tiradentes eles ficam apenas no distrito, desconhecem até a cidade. Com o Jovens Urbanos, eles conheceram novas linguagens, conheceram novas regiões e viram que podem lutar por um trabalho melhor”, diz.

Jovens Urbanos

Criado em 2004, o Programa Jovens Urbanos busca promover, na perspectiva da educação integral, a ampliação do repertório sociocultural de jovens que vivem em territórios urbanos vulneráveis.

O Programa desenvolve, implementa e dissemina tecnologias de trabalho com a juventude por meio de processos de formação ampliada, geração de oportunidade e inserção produtiva, além de contribuir para que esses jovens concluam o Ensino Médio e tenham acesso ao Ensino Superior. Saiba mais, clique aqui.

Tagsjovens, juventude, plano, territórios

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 1 comentário(s)

  •    celia  em