Projeto Jovem: intervenção urbana, arte, cultura e protagonismo em São Paulo

Participantes da 9ª edição do Programa Jovens Urbanos mostraram seus projetos em bancas realizadas nos dias 22 e 23 de outubro. Veja como foi!

Escrito por João Marinho

O endereço era Avenida Inajar de Souza, n. 7.001, e o trajeto desde o Cenpec até o local levou cerca de 1 hora. Na minha companhia, além do taxista, duas representantes do Programa Jovens Urbanos.

Ampliando repertórios

Iniciativa do governo do Estado de São Paulo, as Fábricas de Cultura são unidades em que crianças, adolescente e jovens têm a oportunidade de ampliar seu repertório cultural.

Elas disponibilizam oficinas e cursos, alguns oferecidos pela prefeitura, ateliês com formações que vão do circo e da dança até a capoeira, bibliotecas, salas multiuso e teatro. Nos fins de semana, são realizados eventos abertos à comunidade. Saiba mais aqui.

A impressão era de que estávamos no extremo da cidade de São Paulo. Contrastando com o imponente prédio da Fábrica de Cultura, havia casas sem acabamento, construídas em ângulos quase impossíveis, nos morros próximos.

Mais ao norte, limitando e finalizando o espaço urbano, a Serra da Cantareira, nua, com mata atlântica nativa e seus efeitos climáticos: um dia atípico de primavera, 22 de outubro, em que a temperatura na região não passou dos 16 ºC, com vento.

Originada de um desmembramento de sítios e chácaras do início do século 20, a Brasilândia é um distrito da periferia da zona noroeste de São Paulo, mas engana-se quem pensa que o fato de estar num “extremo da capital” significa a inexistência de uma intensa atividade local.

Jovens da Brasilândia apresentam projetos para a banca
Jovens da Brasilândia apresentam projetos para a banca

Na verdade, estávamos ali, na Fábrica, para acompanhar o primeiro dia de banca dos Projetos Jovens, uma estratégia do processo formativo do Programa Jovens Urbanos, em que os participantes desenvolvem ações de intervenção no território onde residem e/ou estudam.
Os projetos são analisados por uma banca de especialistas convidados, que comentam os pontos mais e menos consistentes dos projetos e dão sugestões de melhoria, ajudando em sua implementação. A Brasilândia e bairros próximos compõem um dos territórios em que o Jovens Urbanos realiza suas ações na cidade de São Paulo.

O que é um Projeto Jovem?

Estratégia do processo formativo pelo qual passam os participantes do Programa Jovens Urbanos, o Projeto Jovem cria oportunidades para que eles coloquem em prática os conhecimentos vivenciados, promovendo uma intervenção em sua comunidade – bairro,
escola ou território.
Essas intervenções proporcionam aos jovens a sensação de pertencimento ao mundo público e o reconhecimento de suas responsabilidades para com o bem coletivo. Os projetos são analisados por bancas e resultam em trabalhos que são expostos na
Feira de Projetos.

O segundo dia de banca, em 23 de outubro, revelou um tempo mais quente. Em duas etapas, foi o dia reservado aos projetos criados pelos jovens da região do Capão Redondo.

Também uma região periférica, o Capão é um distrito localizado no “outro lado” da cidade, na zona sudoeste, a cerca de 20 km do marco zero da capital, na Praça da Sé, e pertence à subprefeitura do Campo Limpo.

A povoação do Capão Redondo data do início do século 19, e o bairro recebeu esse nome por causa das árvores que existiam na região – hoje, porém, é uma das áreas com menos cobertura verde na cidade.

O Capão e seu entorno, no entanto, têm uma rica tradição de mobilização social, que se verifica nas diferentes organizações ali sediadas. Essa característica é seguida pelos participantes do Jovens Urbanos, cujos projetos foram contemplados em quatro bancas realizadas no Centro Educacional Unificado (CEU) Casa Blanca – Prof. Sólon Borges dos Reis, na Rua João Damasceno, s/n, Vila das Belezas.

O segundo dia de apresentações é voltado aos participantes do Jovens Urbanos no Capão Redondo, que apresentam seus projetos de intervenção à banca de especialistas.
O segundo dia de apresentações é voltado aos participantes do Jovens Urbanos no Capão Redondo, que apresentam seus projetos de intervenção à banca de especialistas.

Grafite, skate e esportes: o foco da zona norte

Na Brasilândia, a partir das 14h, foram nove os Projetos Jovens apresentados, divididos em dois eixos e duas bancas: Linguagens da Arte e Intervenção Urbana; e Produção Cultural e Empreendedorismo.

No anfiteatro da Fábrica de Cultura da Brasilândia, foram ouvidos os projetos do eixo Produção Cultural e Empreendedorismo. São eles:Vem com a Gente: Esportes; Preconceito contra Estrangeiro, Xenofobia?; SkateBeat; e Um Novo Olhar.

Na sala multiuso, o site Educação e Participação acompanhou a banca dos projetos do primeiro eixo, com intervenções aliadas a quatro instituições da região – Associação dos Moradores do Alto da Vila Brasilândia  (AMAVB), Madre Teresa, Larzinho e Amigos de Pianoro –, à qual compareceram cerca de 40 pessoas. São eles: Tenho Fé; Arte Jovem, Praça Bernardo; Mais Cultura Urbana; Space Cowboys Skatepark; e Espaço Musical.

 

Zona sul: teatro, documentários, fotografia e camisetas

Na região do Capão Redondo, foram apresentados 24 projetos no total. Duas salas foram utilizadas – uma multiuso e outra da Universidade Aberta do Brasil (UAB) –, para quatro bancas: duas a partir das 9h30 e duas a partir das 14h30. Em cada etapa, a estimativa foi de 40 a 50 participantes na primeira sala; e de 50 a 60 na segunda. Segue a relação dos projetos:

Eixos Comunicação, Multimeios e Tecnologia; Produção Cultural, Empreendedorismo e Intervenção Urbana: Zumbilândia; Pregnant Young (Jovens Grávidas); Papo Reto; Sarau da Casa D’Jão; K Entre Nós; Culinária Sustentável; Se Não Curtir, Corta!; Customize; Web TV Comunidade Bolada; Rádio CR NET; Reflexão no Muro; Semeando Atitude; e Grafixando.

Eixo Linguagens da Arte e Intervenção Urbana: Click Marginal; Paz e Amor na Cidade; Inovando O Que É Seu; Grupo Teatral Estopim; Revela Essa Juba Aê!!!; Criando um Novo Mundo; Baseando-se Cultura; A Aventura Vai Começar; Cantores da Alegria; Redesenhando o Jardim Comercial; e Ponto do Livro.

 

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)