Notícias - João Marinho - Prêmio Itaú-Unicef

Quatro projetos destacam a tecnologia a serviço da educação integral

Finalistas de edições anteriores do Prêmio Itaú-Unicef utilizam as tecnologias de informação e comunicação (TIC) para ampliar aprendizagens e repertórios de crianças, adolescentes e jovens

Neste mês de agosto de 2015, a plataforma Educação&Participação destaca o uso das tecnologias de informação e comunicação (TIC) em estratégias e projetos de educação integral. No âmbito do Prêmio Itaú-Unicef, alguns projetos têm se destacado por fazer uso desse tipo de ferramenta para ampliar aprendizagens e repertórios, contribuindo para a autonomia de crianças, adolescentes e jovens na perspectiva da educação integral. Conheça quatro deles.

Virando o Jogo

Localizado na zona norte de São Paulo, no distrito do Tremembé, o bairro da Vila Albertina é marcado por contrastes sociais. O desejo de combater as desigualdades entre crianças, adolescentes e jovens e dar a eles novas perspectivas alimentou o surgimento da Fundação Gol de Letra, há mais de 15 anos.

A Fundação é responsável pelo Programa Virando o Jogo, que atende 240 crianças e adolescentes entre 7 e 14 anos de idade e 32 jovens de 15 a 21 anos, que também podem atuar como mediadores e monitores. O Programa, Grande Vencedor Nacional da 10ª edição do Prêmio Itaú-Unicef (2013-2014), busca ampliar o repertório educacional, social e cultural e promover a autonomia e o exercício da cidadania, objetivos da educação integral.

Os participantes têm contato com as TIC via oficinas de informática e também na produção de vídeos: os adolescentes escrevem roteiros e relatam as experiências e o que aprenderam no Virando o Jogo.

> Saiba mais sobre o Programa Virando o Jogo e a Fundação Gol de Letra;

> A Gol de Letra sistematizou o projeto por meio da publicação Programa Virando o Jogo: uma experiência da Gol de Letra com educação integral. Clique aqui para ler.

 

Autonomia jovem

A ampliação de repertório e o estímulo à autonomia do jovem, sua inserção no mercado de trabalho e a participação na vida pública são também objetivos do Programa Jovens Urbanos, iniciativa da Fundação Itaú Social, com coordenação técnica do Cenpec. Saiba mais sobre o Programa, que se encontra na 10ª edição em São Paulo (SP), em curso no distrito da Cidade Tiradentes.

 

Rede Escola Viva

A articulação entre os diferentes saberes compõe um dos fundamentos da educação integral e está presente no Projeto Rede Escola Viva, que surgiu de uma parceria entre o Instituto Kairós, do município de Nova Lima (MG), e a Secretaria Municipal de Educação. O Projeto foi finalista da Regional Belo Horizonte na 9ª edição do Prêmio Itaú-Unicef (2011-2012).

O Rede Escola Viva contribui para a melhoria da aprendizagem de 250 crianças e adolescentes sob a perspectiva de uma formação integral, articulando o conhecimento popular e as práticas locais de produção. Como consequência, os participantes experimentam um fortalecimento da autonomia, redução da vulnerabilidade socioeconômica e ampliação dos processos colaborativos na escola, família e comunidade.

Na área de TIC, o Rede oferece oficinas de cultural digital e atividades de rede social, além de promover o contato de crianças e adolescentes com produtos culturais que utilizam amplamente a tecnologia como suporte, por exemplo o cinema. A equipe também sistematiza a tecnologia social e a pedagogia orientativa desenvolvida e promove a formação de educadores e monitores sociais, a fim de disseminar as práticas socioeducativas em outras realidades.

> Saiba mais sobre o Projeto Rede Escola Viva.

 

Secretarias parceiras

O Guia Políticas de Educação Integral traz informações a gestores e outros atores interessados em implantar iniciativas de educação integral em seus municípios. Além disso, a plataforma Educação&Participação já destacou experiências exitosas de parcerias entre organizações da sociedade civil, escolas públicas e gestão pública para a educação integral levando em conta as especificidades dos territórios. A assessoria no município de Mogi Mirim (SP), realizada pela Fundação Itaú Social e pelo Cenpec, destacou-se exatamente pela participação social e por uma iniciativa conjunta, entre organização e secretaria. A assessoria foi um dos destaques de nossa reportagem sobre Planos Municipais e Estaduais de Educação.

Ações Culturais para Povos Rurais

Desenvolvido pelo Projeto Verde Vida, do município do Crato (CE), o Projeto Ações Culturais para Povos Rurais busca contribuir para as políticas públicas de atendimento à infância e à adolescência e a disseminação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) em oito comunidades rurais do Cariri Cearense – e foi o Grande Vencedor Nacional da 9ª edição do Prêmio Itaú-Unicef.

Além dessa atitude de advocacy, a iniciativa visa fortalecer o vínculo de crianças, adolescentes e jovens com seu território de origem e estimular o sentimento de permanência na escola. Cento e cinquenta participantes na faixa etária de 6 a 18 anos ampliam o seu repertório, como postula a educação integral, por meio de ações que vão da capoeira e outros esportes ao circo, passando pela música e pela xilogravura.

Há também ações de inclusão digital e iniciação em radiodifusão: seis comunidades e quatro radiodifusoras comunitárias se unem para prover oficinas com noções teóricas e atividades práticas, além da criação de roteiros para rádio e jornal, que resultam em programas produzidos e elaborados por adolescentes e jovens. A meta é a construção da Rede de Comunicação e Cultura Popular do Semiárido Cratense, com a integração de espaços de comunicação popular.

> Assista abaixo a um vídeo sobre o Projeto:

 

Onda: Adolescentes em Movimento pelos Direitos

Ações de advocacy em favor do ECA também estão no radar do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), que considerou fundamental introduzir o tema para o público nele interessado, passando a atuar na formação em cidadania e direitos com adolescentes de escolas públicas no Distrito Federal, em consonância com o conceito de educação integral.

Dentro do Projeto Onda: Adolescentes em Movimento pelos Direitos, finalista da Regional Goiânia na 9ª edição do Prêmio Itaú-Unicef, os participantes são estimulados a exercer sua autonomia e a participação na vida pública, com base em uma formação em direitos humanos que evidencia o monitoramento de políticas públicas voltadas para eles e seu papel estratégico no orçamento público.

São atendidos 640 adolescentes e jovens na faixa etária de 13 a 18 anos, que participam de três blocos de formação, cada um constituído por quatro ou cinco oficinas. Os blocos se encerram com oficinas de comunicação, e há também uma programação que inclui cinema, política e a realização da Revista Descolad@s, em que são empregados elementos de TIC.

> Saiba mais sobre o Projeto Onda.

 

Sobre o Prêmio

Com o tema Educação integral: aprendizagem que transforma, o Prêmio Itaú-Unicef se encontra na 11ª edição, com 1.947 projetos inscritos em todo o Brasil.

O Prêmio é uma iniciativa da Fundação Itaú Social e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec).

Foi criado em 1995 e, ao longo desses 20 anos, vem reconhecendo projetos socioeducativos que, articulados com escolas públicas, são voltados ao desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens.

Os projetos citados neste texto não concorrem na atual edição.

Tagsnovas tecnologias, organização, OSC

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 4 comentário(s)

  •    jose inaldo filho  em 
  •    heytor  em 
  •    heytor  em 
  •    heytor  em