O Programa

Criado em 2004, o Programa Jovens Urbanos busca promover, na perspectiva da educação integral, a ampliação do repertório sociocultural de jovens que vivem em territórios urbanos vulneráveis.

O Programa desenvolve, implementa e dissemina tecnologias de trabalho com a juventude por meio de processos de formação ampliada, geração de oportunidade e inserção produtiva, além de contribuir para que esses jovens concluam o Ensino Médio e tenham acesso ao Ensino Superior.

Reconhecer que o desenvolvimento dos jovens passa pela diversidade e complexidade de suas demandas – e também por seus potenciais – faz o Jovens Urbanos atuar em rede, envolvendo poder público, iniciativa privada, organizações locais, população e entidades de reconhecida expertise social e técnica, que passam a agir em conjunto, buscando a transversalidade e a articulação das políticas públicas nas ações para a juventude no território de atuação. Além disso, busca a sustentabilidade dessas ações ao investir na formação dos participantes da rede e empoderando atores locais para a continuidade das propostas.

As estratégias propostas pelo Programa – na perspectiva da educação integral – buscam expandir o repertório sociocultural dos jovens. Além disso, tem o objetivo de promover impactos por meio de ações que lidam com as demandas e os anseios juvenis, apoiando e estimulando as elaborações dos projetos de vida desses jovens; realizar atividades eletivas e de acolhimento de suas produções artísticas e culturais; trabalhar com estímulos à permanência, à continuidade ou ao retorno à educação básica; promover ações de letramento, tomadas em sentido amplo, como forma de expressão e abrangendo as mídias digitais; estimular a ampliação da circulação, do acesso e do usufruto de equipamentos e bens culturais da cidade; e ampliar o repertório de competências e habilidades para a vida pública, o exercício do controle social e o mundo do trabalho.

O Jovens Urbanos já realizou ações nas cidades de Caçapava (SP), Pouso Alegre (MG), Praia Grande (SP), Rio de Janeiro (RJ), Santos (SP), São Paulo (SP) e Serra (ES). Cada uma das experiências trouxe especificidades ao Programa, que foram transformadas em aprendizagens, contribuindo para o aprimoramento constante da proposta. Desde o ano passado, o Programa realiza uma assessoria ao Governo do Estado de Minas Gerais para a construção de uma proposta de educação integral para o Ensino Médio.

 

>> Saiba mais sobre os Marcos Conceituais do Programa Jovens Urbanos, clique aqui.

 

Repercussão nacional e internacional

Durante sua trajetória, o Programa Jovens Urbanos  tem sido reconhecido como uma importante tecnologia social de educação Em 2014, o Programa recebeu menção honrosa no Prêmio Betinho e, pela segunda vez, foi selecionado pelo Ministério da Educação (MEC) para compor o seu Guia de Tecnologias Educacionais.

Em junho de 2015, o Programa Jovens Urbanos foi uma das iniciativas destacadas na Assembleia Geral das Nações Unidas durante o evento Dividendo demográfico e emprego de jovens (em inglês, High-Level Event on the Demographic Dividend and Youth Employment), com a colaboração do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT), em Nova York.

Em dezembro do mesmo ano, o Programa foi uma das 178 iniciativas educacionais de instituições brasileiras, entre organizações não governamentais, escolas públicas e particulares, reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC) como exemplos de inovação e criatividade na educação básica. Saiba mais, clique aqui.

#

Metodologia

Em mais de 10 anos, o Jovens Urbanos realizou edições envolvendo instituições públicas parceiras e cerca de 10 mil jovens. Resultado de aprendizagens acumuladas, o Programa apresenta, metodologicamente, uma estrutura flexível, que parte das concepções de aprendizagem por meio de exploração, experimentação, produção e expressão a partir da circulação pela cidade, com a apropriação de diferentes tecnologias e que estimulam intervenções na própria comunidade, consolidadas pelos Projetos Jovens.

Eixos norteadores

O Programa ancora-se na tríade conceitual Estado, mercado e comunidade. Contempla o desenvolvimento pleno dos jovens, gerando oportunidades que possibilitem a ampliação de repertório e o fortalecimento da formação educacional deles, a inserção produtiva, a produção cultural e laboral na cidade e a participação ativa na vida pública, com o fortalecimento e a participação em fóruns locais, movimentos sociais, coletivos culturais e intervenções desenvolvidas pelos próprios jovens.

As novas formas de produção juvenil

Produzido para o Seminário Internacional Educação + Participação = Educação Integral, esse vídeo trata dos desafios das juventudes no Brasil e destaca as contribuições do Jovens Urbanos.

Iniciativa
Marca da Fundação Itaú Social
Coordenação Técnica
Marca da CENPEC