Educação integral e juventudes: exploração do território

Nesse vídeo de 4 min, o território é definido como “um conceito que não se restringe ao espaço geográfico, abrangendo sobretudo as relações sociais e as redes locais”. É considerado fundamental para uma educação integral que propõe o pleno desenvolvimento dos jovens.

O vídeo Exploração do território foi produzido pelo Programa Jovens Urbanos, uma iniciativa da Fundação Itaú Social com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), que em Minas Gerais  tem parceria com a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais. Ele compõe uma série de três vídeos relacionados à obra Itinerário para as juventudes e a educação integral em Minas Gerais e defende a importância do território sob a perspectiva do exercício do direito à cidade pelo jovem. Dessa maneira, a cidade se torna um centro de aprendizado, transformação e cidadania.

Além dos aspectos conceituais, o trabalho traz sugestões de como trazer essa dimensão para a escola e tornar a sala de aula e locais similares em ambientes criativos, estimulando a exploração do território por parte dos jovens, com novos e múltiplos olhares e com o uso de equipamentos dos mais simples, como caneta e bloco de anotações, aos mais sofisticados, como os smartphones.

A confecção de mapas (e, por extensão, cartografias), a possibilidade de intervir diretamente no espaço coletivo, o uso de textos, imagens e memórias e o diálogo com os conteúdos de disciplinas como Biologia, Química, História, Geografia, Matemática, Literatura e Língua Portuguesa são algumas das inúmeras potencialidades abordadas pelo vídeo. Dessa maneira, o território “passa a ser entendido como componente curricular e como parte do processo educativo”.

Assista na íntegra.

Saiba mais na Temática Itinerário para as juventudes e a educação integral em Minas Gerais.

Tagsautonomia, cidade educadora, comunidade, currículo, diversidade, educação integral, jovem, jovens, Jovens Urbanos, juventudes, protagonismo juvenil, territorialidade, território

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)