Percursos da Educação Integral: em busca da qualidade e da equidade

Em 2013, após uma trajetória de conquistas dos direitos de crianças, adolescentes e jovens que se iniciou nos anos 1980, com a promulgação da Constituição Federal (1988) e do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA, 1990), o Brasil se encontra em um novo tempo, em que crianças, adolescentes e jovens são vistos como sujeitos de direitos, capazes de influenciar o destino de uma nação.

Nesse contexto, por iniciativa da Fundação Itaú Social sob coordenação do Cenpec, foi lançada em 2013 a publicação Percursos da educação integral: em busca da qualidade e da equidade, resultado de uma pesquisa sobre 20 experiências de municípios que desenvolveram políticas de educação integral em diferentes partes do Brasil, com diversas realidades e caminhos traçados.

A publicação dá continuidade ao livro Tendências para a educação integral, um marco em relação à reflexão e análise sobre o conceito de educação integral, defendendo o desenvolvimento integral como o grande objetivo dessas políticas.

Utilizando uma metodologia de pesquisa diferente do material citado, Percursos da educação integral  procurou refletir sobre a educação integral com base nas diversas práticas desenvolvidas no país, revelando, de acordo com a dinâmica da publicação, a área na qual a educação integral mais avançou, aquela que poderia dar ideias e soluções para serem compartilhadas.

Estamos construindo um novo país. Uma nação que busca proteger e educar as novas gerações. Um novo tempo em que se olha as crianças, os adolescentes e jovens de um outro modo: como sujeitos de direitos, capazes de influenciar os rumos de uma nação. Alcançar esse patamar civilizatório que altera substancialmente o cenário da infância, adolescência e juventude brasileiras tem sido possível pelo engajamento de toda a sociedade – Estado, empresas e organizações sociais sem fins lucrativos – em um esforço, sinérgico e intercomplementar, que contribui para a formação das novas gerações. Esse processo é lento, gradual e constitui um dos maiores desafios de nossa sociedade.

Dessa forma, a publicação foi organizada em quatro capítulos baseados nos principais eixos: metodologias e conteúdos; formação de educadores; gestão de programas; e avaliação e monitoramento. Os capítulos estão articulados, mas cada um pode ser lido de maneira independente: cada experiência visitada traz uma enorme quantidade de ideias, de dúvidas, mas também de soluções que podem, de fato, orientar outros que estão com as mesmas dificuldades.

De acordo com os organizadores da publicação, muitas redes já têm um caminho trilhado e sobressaem em diversos aspectos, como as que foram visitadas. Por essa razão, os 20 municípios abordados representam centenas de outros que também poderiam estar aqui, iluminando o percurso àqueles que vêm por aí. Esperamos que este livro cumpra essa função.

 

Saiba mais: Guia Políticas de Educação Integral

Para baixar a publicação, você deve fazer seu cadastro ou login na plataforma, clique aqui!
Tagsavaliação, cidade educadora, currículo, desenvolvimento integral, educação integral, políticas de educação integral, políticas públicas, território

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)