Educação&Participação

Atividade que trabalha a origem e a história do dinheiro.

Início

  • O que éO que é

    Atividade que trabalha a origem e a história do dinheiro.

  • PúblicoPúblico

    Adolescentes e jovens.

  • MateriaisMateriais

    Data show, baú de adereços.

  • EspaçoEspaço

    Na sala de atividades.

  • DuraçãoDuração

    Um encontro de 1h30 (uma hora e trinta minutos).

  • FinalidadeFinalidade

    Tomar conhecimento da origem e evolução do uso do dinheiro pela humanidade.

  • ExpectativaExpectativa

    inteirar-se da dinâmica de funcionamento da sociedade de consumo e dos usos possíveis do dinheiro.

Na prática

Prepare a sala com imagens de moedas (nome que se dá ao dinheiro) de diferentes países, antigas e novas, dispostas em um mural, como uma exposição.

Dê um intervalo de tempo para os adolescentes e jovens, quando chegarem, circularem e apreciarem o mural. Em seguida, chame-os para a roda e pergunte que impressões tiveram das imagens, se reconheceram de que países são aquelas moedas, quais têm valor hoje e quais se encontram somente no passado.

Desde quando será que existe o dinheiro? Sempre existiu?

Proponha esse desafio para eles e veja o que dizem a respeito.

E se?

Se alguém se aproximar da verdadeira história do dinheiro, estimule-o e ajude a contar.

Convide-os, então, a assistirem um vídeo que conta essa história e mostra como é usado o dinheiro nos dias de hoje. É um vídeo de Educação Financeira da BOVESPA- Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo, que é a bolsa oficial do Brasil e está no youtube (11min22s):

Após a projeção, converse com eles sobre o que viram: Como eram feitas as trocas antigamente?

Quais fatores facilitaram a invenção do dinheiro para as pessoas?

Observe se entenderam as informações veiculadas no vídeo:

O que é  escambo.

Por que os homens inventaram o dinheiro e largaram o uso do escambo;

Por que escolheram o metal para representar os valores de troca;

A diferença entre dinheiro em metal (moeda), em papel (cédulas, cheques) e em plástico (cartões);

Os usos do dinheiro –  gastar, poupar, investir;

Como o dinheiro circula na sociedade, através do sistema de produção e consumo.

Explique que apesar de chamarmos o dinheiro em metal de moeda, este é o nome que se dá também ao dinheiro que circula na economia dos diferentes países. Assim, a moeda brasileira é o real, a dos países da Comunidade Europeia, o euro, a dos Estados Unidos, o dólar e a do Reino Unido, a libra e assim por diante.

Para se aprofundem um pouco mais na história do dinheiro, forme duplas e oriente-os a acessarem o site do Canal Kids , fazendo a leitura até o fim do título E no Brasil?

Após vinte minutos, abra a roda e peça para comentarem o que leram e qual a relação com o vídeo, pois a leitura reforça as informações veiculadas nos dois veículos.

A seguir, proponha uma encenação rápida, em grupos, sobre a história do dinheiro, com base no que viram e leram.

O baú de adereços está ali para ajudá-los a comporem a história e os personagens. Eles poderão fazer desenhos para representar objetos de troca, moedas e cédulas. Terão vinte minutos para a elaboração da encenação, após os quais se apresentarão para os colegas. A encenação poderá ser filmada para que assistam ao final.

Hora de avaliar

Terminadas as encenações, em círculo, farão a avaliação da oficina, escolhendo um dos objetos do baú ou dos desenhos que fizeram para a encenação, a fim de atribuírem um valor às atividades da oficina.

 

O que mais poderá ser feito?

Os estudantes poderão montar uma feira de objetos usados, utilizando o escambo como forma de troca. Poderão também ampliar a feira para as outras turmas da instituição ou para as famílias.

 

Fontes de Referência:

Sites:

–  Banco Central

–  Casa da Moeda

– Educação Financeira- Cássia d’Aquino

 

Para ampliar

O dinheiro, tal como o conhecemos atualmente, nem sempre foi assim.

Antigamente, usava-se o escambo como poder de compra.

Inúmeros objetos e utensílios foram usados como dinheiro em diferentes momentos da história e em diferentes lugares: chá; penas de avestruz; bacalhau; presas de javali; contas de vidro; cacau; ovos; pele de animais; enxadas; seixos; chaleiras; fumo; pregos; óleo de oliva; bois; mandíbulas de porco; anzóis; crânios humanos; arroz; cauri (moluscos); sal; escravos; dedais; marfim;  tecidos; fios de lã e de seda; conchas. Mas isso era demorado e os materiais se deterioravam.

Assim, com o decorrer do tempo surgiu a necessidade de se utilizar materiais que pudessem ser armazenados, sem perigo de deterioração e sem perder o valor.

Foi então que se começou a utilizar metais preciosos (ouro, prata, bronze e cobre) como medida de troca para pagamentos (dinheiro).

Inicialmente, os metais eram derretidos e transformados em barras, lingotes, cubos ou placas e, depois, na forma circular.

O metal comercializado dessa forma exigia aferição de peso e avaliação de seu grau de pureza a cada troca.

Mais tarde, ganhou forma definida e peso determinado, recebendo marca indicativa de valor, que também apontava o responsável por sua emissão.

Essa medida agilizou as transações, dispensando a pesagem e permitindo a imediata identificação da quantidade de metal oferecida para troca.

As primeiras moedas de metal surgiram, aproximadamente, no século 7 a.C., na Lídia, região onde atualmente se localiza a Turquia.

A palavra moeda vem de Moneta, da deusa Juno Moneta, cujo templo era usado para a confecção das moedas romanas. (século 3 a.C.).

Na Idade Média, surgiu o costume de se deixarem guardadas as barras ou lingotes com um ourives, pessoa que negociava objetos de ouro e prata. Este, como garantia, entregava um recibo à pessoa dona da barra.

Com o tempo, esses recibos passaram a ser utilizados para efetuar pagamentos, circulando de mão em mão e dando origem à moeda de papel.

Com o tempo, da mesma forma ocorrida com as moedas, os governos passaram a conduzir a emissão de cédulas, controlando as falsificações e garantindo o poder de pagamento.

Atualmente, quase todos os países possuem seus bancos centrais, encarregados das emissões de cédulas e moedas.

Cada país decide o dinheiro que vai usar. No nosso país, a moeda é o real, que circula em moedas de metal e em cédulas de papel nos valores de: R$2,00, R$5,00,R$10,00,R$20,00,R$50,00 e R$100,00.

Gostou?

Acesse também a oficina “O trabalho, o dinheiro e o sustento da vida”, deste banco.

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)