ONGs Participantes do Prêmio Itaú-Unicef

Oficina de leitura, arte e comunicação.

Início

  • O que éO que é

    Produção de jornal com diferentes visões culturais sobre a caveira.

  • PúblicoPúblico

    Crianças e adolescentes.

  • MateriaisMateriais

    Máquinas fotográficas ou celulares, bloco de anotações, papel craft, lápis ou canetas coloridas,

  • EspaçoEspaço

    Diferentes espaços, como salas de aula, laboratórios de informática e ambientes externos. Parte do trabalho é realizado em casa e na escola e também com outras pessoas da comunidade.

  • DuraçãoDuração

    Três encontros semanais, de 1h30min cada.

  • FinalidadeFinalidade

    .

Na prática

a_moda_das_caveiras

Ações e dinâmicas
Na ONG Educandário Santa Maria Goretti, instituição autora desta oficina, o tema das caveiras surgiu entre as crianças e os adolescentes, que usavam acessórios e peças de vestuário com motivo de caveiras e não sabiam que era um item que estava na moda, nem o seu significado.

Assim, o objetivo principal foi levar as crianças e os adolescentes a refletir sobre como a caveira é vista nas diferentes culturas e como está presente nas artes, na moda e em diversos segmentos.

A oficina foi realizada com base nos questionamentos e dúvidas das crianças e dos adolescentes sobre o tema, com o objetivo de produzirem uma reportagem sobre o assunto para um jornal.

Inicialmente, os estudantes levantam questões sobre o tema e como este poderia ser abordado em uma reportagem. É feita, então, uma definição de pauta, com a proposta de como será feita a reportagem e quais aspectos serão apresentados.

As crianças e os adolescentes são divididos para tarefas específicas, de acordo com suas aptidões e iniciativa. São definidas as atividades das quais todos participam e as específicas, como fotografia, entrevista e ilustração. Para cada pauta definida, discute-se quem pode realizar cada tarefa.

A etapa seguinte é de pesquisa e observação. Os estudantes trazem informações, que são discutidas com todo o grupo, de como o tema “caveira” é visto na comunidade, na escola, na mídia e por eles próprios.

A partir daí, são feitos textos sobre o assunto, entrevistas e ilustrações, além da análise das reações que a imagem da caveira causa nas pessoas. Durante a semana, são realizadas as pesquisas, entrevistas e a produção de material e ilustrações, que são reunidos na semana seguinte e discutidos com toda a equipe.
Finalmente, as crianças e os adolescentes editam os textos e escolhem quais opiniões serão publicadas na reportagem, bem como as imagens e as ilustrações – e montam o jornal.

Participação das crianças e/ou adolescentes
Crianças e adolescentes participam ativamente de todas as atividades da oficina. O coordenador organiza as discussões sobre o tema, reúne e elenca o que foi falado pelos estudantes, além de esclarecer dúvidas e mostrar como o assunto pode ser organizado em uma reportagem.

Todos passam por todas as etapas da produção do jornal e revezam-se de acordo com a matéria e o assunto abordado. Sempre é considerada a visão das crianças e dos adolescentes sobre o tema, e é isso que torna o material produzido um diferencial.

Aprendizagens que esta oficina propicia às crianças e/ou adolescentes
As crianças e os adolescentes descobrem que cada cultura tem uma percepção diferente sobre a caveira. Normalmente, ficam fascinados ao saber que ela pode representar algo positivo e alegre, como ocorre no México.

Ao abordarem o assunto de maneira tão natural, começam a ver a associação da caveira com a morte de um outro modo, e não apenas relacionada às coisas sombrias e ao medo. No final das atividades no Educandário Santa Maria Goretti, a conclusão foi que todos os humanos têm uma caveira e um esqueleto, e que, se faz parte do corpo, não é negativo – e sua presença torna todas as pessoas seres iguais.

Organização autora da oficina
Oficina de arte, cultura e comunicação proposta pelo Projeto Nossas Asas, da ONG Educandário Santa Maria Goretti, de Rio Claro (SP), inscrita na 10ª edição do Prêmio Itaú-Unicef.

Para ampliar

.

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)