Educação&Participação

Brincadeira de pegador.

Início

  • O que éO que é

    Brincadeira de pegador.

  • PúblicoPúblico

    Crianças .

  • MateriaisMateriais

    Aparelho de som, giz, gravuras de tubarão, papel sulfite, lápis de cor e tinta guache, barbante e prendedores para montar um varal.

  • EspaçoEspaço

    No pátio, ao ar livre.

  • DuraçãoDuração

    1 encontro de aproximadamente 90 min.

  • FinalidadeFinalidade

    Perceber o outro, que está diante de si, em situação vulnerável, buscando incluí-lo; perceber que somos todos iguais.

  • ExpectativaExpectativa

    Organizar ações coletivas para acolher e cuidar do outro; integrar-se no grupo; desenvolver resistência aeróbica.

Na prática

tubaro

Como desenvolver?


1ª Brincadeira: A ilha que salva

Pergunte às crianças do que costumam brincar e onde.

Verifique se as brincadeiras são coletivas e se envolvem apenas disputa, valorizando o ganhador.

Pergunte se conhecem alguma brincadeira de tubarão. Sabem o que é um tubarão? Alguém já viu algum? Onde? Peça para contarem para o grupo. Mostre algumas gravuras que trouxe.

Proponha então, a brincadeira.

Explique que você desenhará no chão, com o giz, um grande círculo, que representará uma ilha, no meio de um oceano repleto de tubarões. Colocará um Cd com música, no aparelho de som, e todos serão convidados a dançar, fora do círculo.

Quando você parar a música, todos deverão correr para dentro do círculo, para não serem devorados pelos tubarões. Se uma única pessoa ficar de fora do círculo, será devorada e o grupo todo perde.
Comece a brincadeira. Deixe a música tocar por alguns minutos e pare. Veja o que acontece.

E se?

Se alguma criança ficar de fora do círculo, por não ter percebido o sinal dado pela retirada do som, ou porque as demais crianças não o protegeram, chame a atenção da turma para eles salvarem-na.

Continue tocando a música e parando, por alguns minutos. A um determinado tempo, comece a reduzir, gradativamente, o tamanho do círculo com o giz (a cada duas rodadas de música, por exemplo). Todos terão que caber dentro do círculo.

E se?

Se alguma criança se assustar ou não quiser entrar no círculo, porque ficou envergonhada de ficar por último, por exemplo, crie uma saída. Diga que há um barco passando (você) e que esse barco vai levá-la à ilha.

2ª Brincadeira: Somos todos tubarões
 
Esta brincadeira é de pega-pega e será desenvolvida na quadra de esporte.

E se?

Se você não dispuser de uma quadra, risque um retângulo com giz, no chão e passe uma linha divisória, no centro.

Um aluno voluntário será o tubarão e ficará sobre essa linha, podendo se deslocar apenas lateralmente. Os demais participantes ficarão atrás de uma das linhas de fundo, definida por você.

Quando o tubarão anunciar: “pega-pega, tubarão”, todos deverão sair de trás da linha de fundo e, correndo, atravessar a quadra, tentando chegar atrás da outra linha de fundo, no outro extremo da quadra, sem serem pegos pelo tubarão e sem poder voltar.

Aquele que for tocado pelo tubarão, se tornará tubarão também e passará a ajudá-lo, deslocando-se também na lateral, sobre a linha central. E, assim, a brincadeira continua, até que todos se transformem em tubarões.

Hora de avaliar

Sentados em roda, peça a cada um que diga o que achou das brincadeiras: quais as semelhanças e diferenças entre elas? De qual gostou mais? Por quê? Em que situação se sentiu melhor? Sendo incluído? Sendo pegador? Sendo pego? Sentiram medo em algum momento? De quê? O que foi mais gostoso?

Convide-os a desenhar a brincadeira de que mais gostaram, com lápis de cor ou guache, em folha de papel sulfite, pendurando-a num varal de barbante. Lembre-os de colocar o nome e a data em que a brincadeira ocorreu, para localizá-la no tempo, em outros momentos de sua vida.

 

Para ampliar

O que mais pode ser feito?

Uma pesquisa para recolherem outras brincadeiras de tubarão, com os familiares, com os vizinhos e na internet, para montar uma coletânea, que será ilustrada por eles.
Ajude-os a organizar as brincadeiras e a escrever os seus passos, padronizando o registro, com algumas categorias como: materiais; número de participantes; descrição da brincadeira.No dia do lançamento da coletânea, poderão organizar um campeonato com as brincadeiras publicadas, envolvendo os convidados.
Em conjunto com o professor de Ciências, as crianças poderão também colher informações na internet sobre as espécies de tubarões, onde vivem, qual é a atual situação de sobrevivência das mesmas.
Já com o professor de Arte e de Português, elas poderão pesquisar, respectivamente, filmes e livros de literatura que tratam da relação do homem (medos, enfrentamentos) com esse animal.

Gostou? 

Então acesse as oficinas “Brincadeiras de lobo” e “Brincadeiras indígenas do Xingu”, deste banco.

Fonte de Referência

Livro:

Soler, Reinaldo. 100 jogos cooperativos com música: jogos para celebrar a cooperação. Rio de Janeiro: Sprinter, 2011.

Sites:

http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAsjIAE/jogos-quadra.

http://www.ufscar.br/~defmh/spqmh/pdf/2009/iza_brincadeira.pdf?id=196.

Obs: Os sites da oficina foram visitados em 18 de fevereiro de 2016, às 12h.

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 1 comentário(s)

  •    cassiano  em