Educação&Participação

Reaproveitamento do lixo e de materiais considerados “sucata” com a construção de esculturas.

Início

  • O que éO que é

    Reaproveitamento do lixo e de materiais considerados “sucata” com a construção de esculturas.

  • PúblicoPúblico

    Crianças e adolescentes.

  • MateriaisMateriais

    Sucatas de diversos tipos (jornais e revistas velhos, embalagens plásticas, garrafas tipo PET usadas, retalhos de tecido, tesoura, cola, pincel atômico, tintas variadas (se possível), flip chart ou cartolina para registros e cartazes, imagens (fotografias ou reproduções) de obras de escultores brasileiros e estrangeiros.

  • EspaçoEspaço

    Sala ampla ou espaço aberto, com mesas ou bancada.

  • DuraçãoDuração

    Uma sessão de 90 minutos, com preparação prévia (veja a descrição da oficina).

  • FinalidadeFinalidade

    Despertar a consciência sobre a importância do reaproveitamento do lixo e de materiais considerados “sucata”. Desenvolver o senso estético e a capacidade de produção artística.

Na prática

construindo

Como desenvolver?

Preparação

Antes de mais nada, mobilize sua turma (e a comunidade) para separar materiais que seriam jogados no lixo mas que possam ser reaproveitados (veja a oficina “De onde vem esse lixo?”). Alguns materiais, como embalagens plásticas de alimentos, precisam ser higienizados antes de serem guardados e reaproveitados. Lavá-los com água e sabão costuma ser suficiente para retirar possíveis detritos orgânicos. Oriente a turma a proceder a essa higienização antes de guardar os materiais.

Uma vez separados os materiais, num dia combinado com a turma, reúna no centro da sala o que foi recolhido. Promova uma conversa a respeito dos materiais, discuta sobre possíveis formas de aproveitamento desses materiais, ouça suas opiniões a respeito e estimule-os a tomar parte da conversa. Se achar adequado, registre,por escrito uma síntese desse momento.

E se?

Em certas circunstâncias, você poderá precisar de um local (uma sala, um armário, uma caixa, etc.) para armazenar os materiais recolhidos pelos meninos e meninas. Verifique se isso é possível  na sua instituição/escola.

É importante verificar também se os pais ou responsáveis concordam em que os meninos e meninas recolham os materiais para a realização da oficina. Caso não seja possível, você mesmo se organiza para recolher os materiais necessários. Em todo caso, será importante envolver a comunidade nessa tarefa, porque os objetivos dessa oficina consistem em conscientizar a turma sobre a importância do reaproveitamento do lixo. Envolver a comunidade poderá ser produtivo para todos.

Feita a preparação, monte na sala uma pequena exposição com as imagens das esculturas coletadas por você. Para obter essas imagens, você pode consultar sites ou livros especializados em arte, imprimir as imagens e organizá-las em cartazes.

Lista de alguns escultores brasileiros e estrangeiros (a partir do século XX) cuja obra está representada por imagens em páginas na internet:

Alberto Giacometti, Alfredo Oliani, Amilcar de Castro, António Gomide, Artur Bispo do Rosário, Caciporé Torres, Emanoel Araújo, Felícia Leiner, Frans Krajcberg, Heloísa Crocco, Lasar Segall, Quirino da Silva, Sergio Romagnolo, Sonia Ebling, Vasco Prado, Victor Brecheret.

Estimule a turma a observar essas esculturas e, depois de alguns momentos, converse sobre as obras visualizadas:

– Do que são feitas?

– Como podem ter sido feitas?

– O que representam?

– Que sentimentos despertam?

Etc.

Terminada a conversa, convide os meninos e as meninas a se imaginarem como escultores: organize pequenos grupos e proponha que cada turma produza uma escultura, modelando, colando, reaproveitando os materiais selecionados. Cada escultura deve apresentar um título e o nome dos seus autores. Ao final, cada grupo expõe o seu trabalho para os demais, explicando como foi feito, com o quê, o que representa.

Com essas esculturas, você poderá organizar com os meninos e meninas uma pequena exposição, convidando a comunidade para tomar parte nesse momento.

 

Hora de avaliar

Após ter realizado a oficina e depois da exposição dos trabalhos, retome a conversa sobre os materiais utilizados e verifique se os meninos e meninas conseguiram perceber a importância do reaproveitamento do lixo e, principalmente, o fato de que muitos materiais podem servir a finalidades diversas, mesmo depois de utilizados para o fim a que se destinam originalmente.

Assim, você verificará se a turma pôde desenvolver a noção do que é “REUTILIZAR” (um dos cinco Rs do consumo sustentável: repensar, reduzir, reutilizar, reciclar, recusar).

 

Para ampliar

O que mais pode ser feito?

Muitos artistas usam diversos tipos de materiais considerados lixo ou sucata como matéria-prima para suas composições. Um dos mais peculiares artistas brasileiros nessa tendência é Artur Bispo do Rosário. Você poderá levar os meninos e meninas a conhecerem a obra desse importante artista brasileiro por meio de pesquisas diversas.

Para obter informações sobre Bispo do Rosário você pode consultar os inúmeros sites e publicações a respeito de sua vida e obra.

Em muitas centros urbanos, em feiras e mercados de pulgas, há trabalhos realizados por artistas populares. Muita dessa produção artística é feita com base no reaproveitamento de materiais. Pode ser interessante levar a turma a conhecer alguns desses artistas, ocasião na qual eles poderão conversar sobre como as obras são feitas, os materiais utilizados, a procedência etc.  dos materiais.

É possível que em sua cidade ou região haja centros de coleta e tratamento/reaproveitamento de lixo e resíduos. Você poderá organizar uma visita a um desses locais, com sua turma.

 

Gostou? Veja também…

Veja aqui também outras oficinas que abordam o problema do lixo e a questão da reciclagem, em especial a oficina “De onde vem esse lixo?” – Essa oficina poderá ser realizada previamente.

 

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)