Educação&Participação

Conjunto de atividades que visam oferecer vivências esportivas de corrida.

Início

  • O que éO que é

    Conjunto de atividades que visam oferecer vivências esportivas de corrida.

  • PúblicoPúblico

    Para adolescentes e jovens.

  • MateriaisMateriais

    Relógio, uma trena, um caderno de anotações, roupas confortáveis, tênis.

  • EspaçoEspaço

    Em ambiente aberto.

  • DuraçãoDuração

    Em várias sessões de aproximadamente 30 minutos cada.

  • FinalidadeFinalidade

    Ampliar a capacidade física e a saúde de jovens ,por meio de atividades regulares de corrida.

Na prática

Como desenvolver
Acolher o grupo e explicar que as atividades de corrida têm por objetivo aumentar capacidade física das pessoas, além de ajudar a manter a saúde do coração.
Para iniciar o trabalho, convide o grupo para que juntos escolham um lugar onde se possa praticar esta modalidade esportiva. Cuide para que o terreno desse local seja o menos irregular possível, a fim de  evitar quedas ou torções.
Escolhido o local, será importante medir sua extensão, para poder organizar a progressão do exercício a ser feito.
Assim, se o local escolhido for uma praça, pode-se medi-la de forma não convencional (por passos), ou convencionalmente, com uma trena, medindo-se cada um dos lados da praça e calculando-se o perímetro.
  De todos os modos, se chegará à medida de uma volta da praça (número de passos, comprimento em centímetros ou em metros). Caso a praça seja circular, a medida necessariamente deverá ser feita por passos, porque, do contrário, as crianças e jovens terão que fazer um cálculo matemático mais complicado (medir o diâmetro do círculo e multiplicá-lo por 3, 1416 (π) ).
A seguir, será muito importante marcar no posto médico próximo da instituição/escola uma consulta médica para que um especialista ateste a ausência de riscos de saúde na prática de corridas pelos participantes. Caso o médico não autorize a participação de uma ou outra pessoa nesta modalidade, você poderá incluí-las em atividades de caminhadas, que também são interessantes e muito provavelmente não têm contra-indicações.
Tendo o local e sua medida, bem como a autorização médica, será o momento de preparar com a turma a progressão da atividade, pois você pode não conhecer a desenvoltura de todos na realização deste exercício.  Em sessões de 30 minutos regulares, o movimento poderá ser o seguinte:

Primeira sessão Aquecimento inicial de seis minutos. Caminhada de 18 minutos.

 Volta à calma: seis minutos.


Segunda sessão

 Aquecimento inicial de seis minutos.

 Caminhada de 18 minutos com medição da quantidade de metros ou quilômetros andados.

 Volta à calma: seis minutos.


Terceira Sessão

 Aquecimento inicial de seis minutos.

 Três momentos de corrida de três minutos, intercalados por três momentos de caminhada de três minutos (com medida e registro dos metros corridos em cada um dos momentos e em todos eles juntos).

 Volta à calma: seis minutos.

As atividades de aquecimento podem ser de caminhar rápido e/ou de saltitar intenso, seguidas de alongamento. Vídeo aqui.

Após algumas sessões, o grupo já terá adquirido desenvoltura suficiente para aumentar o tempo de corrida e diminuir a freqüência das caminhadas. Assim, por exemplo:

 Aquecimento inicial de cinco minutos.

 Dois momentos de corrida, de seis minutos, intercalados por dois momentos de caminhada, de três minutos (com medida e registro dos metros corridos em cada um dos momentos e em todos eles juntos).

 Volta à calma: cinco minutos.

E, assim, progressivamente, até que venham a correr vinte minutos seguidos. Quando atingirem esta marca, o objetivo será o de aumentar a velocidade da corrida: no mesmo tempo, mais metros/quilômetros. Isto tudo, é lógico sempre levando em consideração a progressão possível de cada pessoa em particular. Alguns vão andar mais metros/quilômetros no tempo de 18 minutos, outros vão conseguir aumentar seu tempo de caminhada de 18 minutos para 20 minutos, outros ainda vão necessitar intercalar a corrida com a caminhada por muitos meses e haverá aqueles que rapidamente estarão correndo vinte minutos com desenvoltura. Não se preocupe, portanto, com os desempenhos diferenciados. O importante é que cada um, em seu ritmo, perceba progressos.

Para que todos possam enxergar o quanto estão progredindo, é importante que você ajude a turma a fazer registros em cada uma das sessões. Após um período sistemático de sessões, você poderá abrir uma conversa sobre as conquistas de cada um e do grupo.

È sempre importante reafirmar com o grupo que essas atividades não visam preparar atletas, mas simplesmente melhorar a capacidade física e a saúde do coração. Além disso, elas visam também integrar todo o grupo na conquista de progressos. Por isso, aqui é importante você criar situações em que cada um possa compreender e aprender a lidar com diferenças.

Suponha que no grupo você tenha uma criança cega. Será vital para o grupo ajudá-la a perceber que também é capaz de se integrar na atividade. Para tanto, sempre coloque alguém como ponto de apoio dessa criança. Além disso, crie situações onde todos tenham que andar com os olhos vendados. Deste modo, todos criarão estratégias para ajudar esta criança portadora de deficiência visual a conquistar melhores resultados na corrida. Neste caso, também é imprescindível consultar um especialista, que possa oferecer a você e ao grupo todas as dicas necessárias.

Do mesmo modo, você poderá ter no grupo pessoas que apresentem outros tipos de problemas de saúde (bronquite, resfriados, etc.) ou outras formas de necessidades especiais (paraplégicos, portadores de síndrome de down, etc.). Seja qual for a situação, depois de consultar um médico, proceda sempre de forma a integrar todos na atividade e de conseguir apoio do grupo.

Hora de avaliar

Para avaliar, peça a cada participante que, uma vez a cada um ou dois meses, traga os registros feitos em cada sessão de corrida. Com base nestes registros, organize tabelas que expressem a correlação tempo de corrida e metros/quilômetros corridos/andados. Ao logo do tempo, cada um poderá ver as conquistas que obteve. Você também, educador, poderá expressar o quantitativo de progresso do grupo como um todo.

Com estes dados em mãos, conduza conversas coletivas sobre a influência da melhoria da capacidade física no bem-estar, na saúde das pessoas do grupo. Certamente, nestes momentos, todos terão muito a dizer.

Para ampliar

O que mais pode ser feito?

Para incentivar a melhoria de desempenho das crianças e jovens nas corridas, é interessante organizar eventos regulares de corrida na instituição/escola, para os quais sejam convidados a participar todos os interessados, bem como conhecer o calendário de eventos da modalidade promovidos na cidade, para inscrever os interessados.

Pode-se também divulgar a modalidade por meio da organização de gincanas para as quais sejam convidados familiares das crianças e jovens da instituição escolar. Nestas ocasiões brincadeiras muito conhecidas podem despertar a atenção para este tipo de exercício: corrida de saco, corrida do ovo, corrida de obstáculo, corrida da bandeira e outras.

Gostou?

Acesse também a oficina “Atletismo: o esporte mais antigo”, deste banco.

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)