Educação&Participação

Proposta de reflexão sobre o uso do crédito.

Início

  • O que éO que é

    Proposta de reflexão sobre o uso do crédito.

  • PúblicoPúblico

    Adolescentes e jovens

  • MateriaisMateriais

    Data show, acesso à internet, dois cartazes no papel pardo, confeccionados anteriormente, com o registro das vantagens e desvantagens do crédito.

  • EspaçoEspaço

    Na sala de atividades.

  • DuraçãoDuração

    Um encontro de 1h30 (uma hora e trinta minutos).

  • FinalidadeFinalidade

    Desenvolver a atitude de antecipar as consequências do uso do crédito para não comprometer a qualidade de vida nem provocar o endividamento.

  • ExpectativaExpectativa

    Dar prioridade às compras à vista, quando possível, preferindo poupar antes de comprar; se precisar do crédito, calcular, antes de contratar o custo total do empréstimo ou financiamento, procurando aquele que cobra taxas menores de juros; planejar o quanto será necessário separar do orçamento para o pagamento mensal das faturas.

Na prática

Anuncie aos estudantes, na roda inicial, que o tema da oficina do dia será o uso do crédito.
O que pensam sobre isso?
Já tiveram alguma experiência de tomada de empréstimo na família, ou no círculo de amizades?
Como foi?
Após comentarem as experiências, pergunte se julgam ser uma atitude positiva ou negativa emprestar dinheiro para comprar algum produto ou pagar um curso, por exemplo.

E se?
Se as respostas forem unânimes contra ou mesmo a favor, pondere que tudo depende das circunstâncias e que por isso é importante discutir a questão e saber o que está em jogo quando se entra numa dívida de empréstimo ou de financiamento.

Empréstimo e Financiamento

Pergunte se sabem a diferença entre empréstimo e financiamento. Explique que empréstimo é um contrato entre um cliente e uma instituição (banco, cooperativa de crédito, caixa econômica), pelo qual o cliente recebe uma quantia em dinheiro, que deverá ser devolvida em prazo determinado, acrescida dos juros acertados. O dinheiro obtido não tem destinação específica. O cliente faz o uso que quiser. Exemplo de empréstimos: empréstimo pessoal, crédito direto ao consumidor, crédito consignado (empréstimo concedido a aposentados do INSS ou a funcionários públicos municipais, estaduais ou federais, a juros mais baixos e descontados em folha de pagamentos).

Há também o crédito pré-aprovado que é oferecido pelos bancos e instituições financeiras na forma de cartões de crédito e cheques especiais. Crédito pré-aprovado é aquele que disponibiliza um limite de uso para o cliente, sem necessidade de burocracia. São instrumentos que permitem que se paguem compras e serviços, sem necessidade de usar dinheiro no instante imediato da compra ou da contratação de um serviço.

No caso do cartão de crédito, mensalmente, se recebe uma fatura com todos os gastos realizados no período. Se for pago o valor total da fatura, dentro do prazo de vencimento, não serão cobrados juros. Porém, se não se pagar o valor total da fatura até o vencimento, correrão juros sobre o valor que faltou ser pago. Isso porque os juros funcionam como se fossem o “preço” do dinheiro. É uma quantia extra em dinheiro, além do valor que se tomou de crédito, que se paga.

O cheque especial funciona da mesma maneira, com datas e juros, só que sem fatura. (Veja as dicas para o bom uso do cartão de crédito no anexo 2).

O financiamento também é um contrato entre um cliente e uma instituição financeira, mas com destinação específica, como por exemplo, para a aquisição de um veículo ou imóvel, que funciona como garantia para o crédito. Mas, há também financiamentos para serviços como estudos, viagens, tratamento dentário etc.

Nos países democráticos, os governos, através de programas sociais financiam estudos, saúde e casa própria às pessoas e famílias com baixa renda, a baixos juros, para promover direitos e diminuir a desigualdade social.

As instituições financeiras do mercado podem estabelecer critérios próprios para realizar os empréstimos ou financiamentos. As taxas de juros cobradas variam de instituição para instituição, não havendo limites para as taxas cobradas. No entanto, elas são obrigadas a informar, antes da contratação, qual é o Custo Efetivo Total (CET), de cada operação de empréstimo ou financiamento.  O CET deve ser expresso na forma de taxa percentual anual, incluindo todos os encargos e despesas das operações, tais como tarifas e impostos.

Os empréstimos e financiamentos tomados podem ser quitados antecipadamente, com redução dos juros, cabendo às instituições informar as condições para essa antecipação.

Para ficar mais claro o que envolve ambas as situações, convide-os a assistirem a dois pequenos vídeos: o primeiro trata um empréstimo consignado para um aposentado do INSS e o segundo, um financiamento de um carro a um jovem.

Primeiro vídeo: “Empréstimo consignado: saiba no que prestar atenção na hora da contratação” (3min9s)

Após a projeção, abra o debate com eles: discutam as condições que levaram o Sr. Roberto a procurar um empréstimo consignado (ausência de poupança) e quais as orientações que o vídeo oferece a respeito dos cuidados que devem ser tomados antes de se assumir o compromisso do empréstimo (consultar várias instituições para comparar o valor das taxas de juros e tarifas que comporão o custo efetivo total da quantia a ser paga; o quanto o Sr. Roberto contará, a menos, todo mês, em seu orçamento, com a aposentadoria, até quitar a dívida).

Projete, a seguir, o segundo vídeo: Filhos da Mama – Série “Eu e meu dinheiro” (5min 8)

Após a projeção, abra o debate:

Qual dos dois irmãos tomou a atitude mais correta, em relação à compra do carro?

Por quê?

O Rafael poupou e comprou o carro à vista, embora tenha demorado mais tempo para fazê-lo, enquanto Gabriel fez um financiamento por cinco anos e ficou com parte de seu salário comprometido por todos esses anos.

Em seguida, forme grupos e proponha as seguintes questões:

– qual das duas situações mostradas nos vídeos realmente justifica o empréstimo/financiamento? Por quê?

– quais os riscos causados por empréstimos e financiamentos?

Após, aproximadamente, 20 minutos, abra a roda para a socialização e faça a mediação da conversa.  O Sr. Roberto necessitava de um serviço básico e urgente – consertar o chuveiro com vazamento, enquanto o jovem Gabriel não precisava com tanta urgência de um carro.

É isso que define a adequação ou não de se tomar um empréstimo ou financiamento. Da mesma forma, é adequado um estudante que deseja fazer um curso numa universidade privada pensar em contratar o FIES, Financiamento Estudantil, oferecido pelo governo federal, a ser restituído após o término do curso, em longo prazo e a juros baixos, porque esse financiamento representa investimento em seu futuro. Portanto, existem situações em que o empréstimo ou financiamento pode ser uma solução, mas que exige certos cuidados, como cálculos e planejamento.

Tanto no empréstimo quanto no financiamento, temos a sensação, à primeira vista, de que estamos comprando sem gastar. Entretanto, o que estamos realmente fazendo é pedir dinheiro emprestado para poder pagar o que queremos comprar e pagando juros por isso.

É essa sensação primeira que pode levar a riscos de endividamento e da desestruturação do orçamento e da vida, o que ocorre, principalmente com pessoas menos informadas. Por isso, vemos muitos aposentados endividados pelos empréstimos consignados. Por serem as taxas de juros mais facilitadas, o acesso ao crédito é facilitado e a pessoa que não calcula direitinho o orçamento, acaba tomando emprestado mais do que teria condições de pagar. (Veja as dicas para orientar como proceder quando há necessidade de se fazer empréstimo ou financiamento no anexo 1)

Para visualizar melhor os encargos de um financiamento, projete para eles o vídeo “Como funcionam os empréstimos ou financiamentos com parcelas fixas?”

Para sistematizar a oficina, mostre a eles dois cartazes previamente confeccionados por você, apresentando as vantagens e as desvantagens do crédito/financiamento. 

Vantagens

  • Antecipar consumo – Muitas vezes, precisamos comprar um produto ou contratar um serviço, porém não dispomos de recursos suficientes. O crédito nos possibilita resolver essa situação;
  • Atender a emergências – Imprevistos acontecem com frequência: acidente com o veículo, serviço emergencial na residência, alguém da família com problema de saúde quando não estamos financeiramente preparados. O uso do crédito pode ser a saída nesses momentos;
  • Aproveitar oportunidades – Boas oportunidades para fechar um negócio ou fazer uma compra às vezes acontecem e nem sempre, naquele momento, se tem condições financeiras para aproveitá-las.

Ao utilizar o crédito, sempre verifique o seu custo. Compare os preços e custos do crédito

Desvantagens

  • Custo da antecipação do consumo com o uso do crédito implica pagamento de juros – A primeira desvantagem em relação ao uso do crédito é o pagamento de juros. Ao anteciparmos a compra de um produto ou a contratação de um serviço sem a devida disponibilidade financeira, usaremos um dinheiro que não é nosso, portanto pagaremos juros por essa operação. Esse é o custo da antecipação;
  • Risco de endividamento excessivo – O uso inadequado do crédito pode levar ao endividamento excessivo e comprometer toda a vida financeira, podendo acarretar descontrole emocional, problemas de saúde e familiares. Assim, é importante refletir antes de tomar crédito e não o utilizar de forma indiscriminada;
  • Limite de consumo futuro – Outra desvantagem de tomar crédito consiste em limitar o consumo futuro. Essa desvantagem é quase automática, uma vez que o crédito tomado hoje tem de ser pago no futuro, reduzindo, portanto, as disponibilidades financeiras.

 

Hora de Avaliar 

Em roda, peça para se manifestarem em relação à oficina realizada:

O que não sabiam e que aprenderam?

O que mais impactou nos vídeos assistidos?

Que informações acham que podem levar para compartilhar com suas famílias?

Por quê?

 

O que mais poderá ser feito?

 O professor de matemática ou estatística pode realizar algumas simulações de empréstimos e financiamentos com os estudantes para que possam enxergar, em valores, o volume de dinheiro gasto com juros.

 

Fontes de Referência

Livro:

Dessen, Marcia Belluzo. “Cuide bem do seu dinheiro.” São Paulo: Pearson Education doBrasil, 2013.

Site Cidadania Financeira

 

Para ampliar

O crédito é uma fonte adicional de recursos que são obtidos por meio de terceiros (bancos, financeiras, cooperativas de crédito e outros), que possibilita a antecipação do consumo para a aquisição de bens ou contratação de serviços.

Para uma vida financeira saudável é muito importante saber escolher a modalidade de crédito mais adequada para cada situação. Com a devida compreensão dos custos envolvidos nas operações de crédito, é mais fácil o uso do crédito de forma consciente.
É preciso ter cuidado, pois o uso inadequado do crédito pode levar ao endividamento excessivo e comprometer toda a vida financeira.

Antes de tomar um empréstimo ou financiamento, convém perguntar a si mesmo: Para que preciso do dinheiro? É mesmo necessário? A prestação cabe no meu orçamento? Vale a pena pagar os juros ou é melhor esperar, juntar o dinheiro e comprar depois?
O crédito possui vantagens e desvantagens. Seu uso pode trazer grandes benefícios, bem como grandes males.

Assim, se for necessário utilizar-se dele, alguns cuidados precisam ser tomados, como: não perder o controle das contas, não se deixar endividar, dando “passos maiores do que as pernas”.

É bom lembrar que em vez de utilizarmos o crédito, é mais adequado procurar diminuir os gastos, eliminar por completo os desperdícios, reduzir os supérfluos e otimizar a despesa somente com os produtos realmente necessários, de forma a se conseguir poupar para enfrentar as eventualidades e emergências que surgem inesperadamente em nossa vida.

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 1 comentário(s)

  •    Marilene de sousa  em 
         Educação&Participação respondeu em