Educação&Participação

Jogo em que os participantes têm o desafio de se comunicar durante a prática esportiva sem usar palavras.

Início

  • O que éO que é

    Jogo em que os participantes têm o desafio de se comunicar durante a prática esportiva sem usar palavras.

  • PúblicoPúblico

    Crianças e jovens.

  • MateriaisMateriais

    Um apito, acessórios necessários à prática do esporte escolhido (por exemplo.: bola, rede, cordas, raquetes, etc.)

  • EspaçoEspaço

    Numa quadra ou espaço aberto onde seja possível a prática de atividades esportivas.

  • DuraçãoDuração

    Rodadas de aproximadamente 5 minutos. O tempo de que se dispuser determinará o número possível de rodadas.

  • FinalidadeFinalidade

    Estimular a cooperação e desenvolver atitudes de respeito e colaboração em atividades coletivas. Tomar consciência da importância da palavra para a comunicação.

Na prática

probidio

Como desenvolver?

Combine com o grupo o esporte que se deseja jogar, escolhendo algum de prática habitual, cujas regras sejam conhecidas de todos. Isso é importante porque evitará a necessidade de se aprenderem as regras do esporte escolhido para a execução da oficina.

Divida o grupo em equipes, conforme o esporte escolhido. Por exemplo, no vôlei, cada equipe costuma ter seis jogadores. No futebol de campo, onze.

Anuncie a regra: “Durante o jogo, ninguém poderá falar nada. É proibido falar! Quem desobedecer à regra, sai do jogo. Prestem atenção uns aos outros e observem-se. Para comunicar algo, usem gestos, expressões corporais, sinais e mímica. Mas não vale falar”.

Sorteie as duas equipes que iniciam a primeira rodada. Estipule o tempo (5 minutos) e inicie a partida, seguindo as regras da modalidade escolhida.

Seja rigoroso(a): quando algum jogador falar algo, você apita imediatamente, paralisa o jogo e o retira da competição.

Quando o tempo da rodada terminar, você dá o apito final e encerra a partida. Será vencedora a equipe que terminar com o maior número de jogadores em campo, e não aquela que marcar mais pontos.  Essa equipe continua no jogo e terá direito a uma nova rodada com a próxima equipe sorteada. Todas as equipes formadas deverão jogar ao menos uma vez.

Se quiser, você poderá estipular um prêmio simbólico para a equipe vencedora e prêmios de consolação para as demais. Nesse caso, antes de dar início à primeira partida, anuncie que haverá premiações.

Se todos os jogadores de uma equipe tiverem de sair antes do final do tempo da rodada, a equipe adversária é declarada vencedora, mesmo que esteja em posição de desvantagem no placar.

Se ninguém for retirado das equipes em disputa, não há perdedores. Ambas as equipes devem ser declaradas vencedoras e permanecem na rodada seguinte.

Você poderá criar variações desse jogo, permitindo, por exemplo, que um único jogador use a palavra para se comunicar durante o jogo. Esse jogador poderá ser escolhido por sorteio, por exemplo. Ou então, você pode estipular que a equipe vencedora de duas rodadas seguidas passará a ter direito à palavra.

 

Hora de avaliar

Após o termino das rodadas, faça uma roda de conversa com todos os jogadores. Pergunte-lhes:

  • Foi difícil ficar sem falar durante o jogo? Por quê?
  • Existem situações em que é fácil ficar sem falar? Quais?
  • Quais recursos vocês utilizaram para se comunicar durante a partida?
  • O uso desses recursos deu certo? Justifique.
  • Ficar sem falar trouxe alguma vantagem ou desvantagem? Qual?

Ouça os comentários de todos e analise com o grupo. Você deve verificar se todos os jogadores foram capazes de perceber a importância do trabalho colaborativo: quando se combina coletivamente suprimir alguma coisa em determinada situação, todo o grupo se empenha em encontrar substitutos para ela, quando ela é fundamental. É o caso da comunicação.
Por fim, peça que cada equipe se reúna e faça um comentário por escrito sobre o seu próprio desempenho durante as rodadas. Conceda 15 minutos para o grupo se reunir e concluir a atividade.

 

Para ampliar

O que mais pode ser feito?

É importante que o uso da palavra seja percebido como o grande prêmio do jogo. Assim,  os jogadores vão aos poucos percebendo a importância de saber respeitar um ao outro, usando a palavra de forma coletivamente aceitável.

Encerrada a conversa, pode-se sugerir ao grupo pesquisar sobre situações de uso da palavra na nossa sociedade, a importância da comunicação, a origem das palavras e das línguas, a história da Torre de Babel, a linguagem dos surdos-mudos, etc.

 

Gostou?

Veja também…

Pode-se  solicitar que os grupos leiam e  dramatizem a crônica Comunicação, de Luís Fernando Veríssimo.

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)