Educação&Participação

Jogo adaptado do basquete para trabalhar com a coordenação motora.

Início

  • O que éO que é

    Jogo adaptado de basquete.

  • PúblicoPúblico

    Adolescentes e jovens.

  • MateriaisMateriais

    Duas bolas de basquete, giz.

  • EspaçoEspaço

    No pátio ou na quadra da instituição.

  • DuraçãoDuração

    Um encontro de aproximadamente 90min.

  • FinalidadeFinalidade

    Conscientizar-se de que a coordenação motora é uma das capacidades físicas que podem ser desenvolvidas para obter uma qualidade de vida melhor.

  • ExpectativaExpectativa

    Aprender como melhorar a coordenação dos movimentos; desenvolver a concentração e o sentimento de equipe.

Na prática

jogo_coordenado

Como desenvolver?
Inicie perguntando se conhecem o exercício de polichinelo para que possam fazê-lo. Inicialmente em pé, com pés unidos e braços estendidos, ao longo do corpo, devem saltar abrindo simultaneamente pernas e braços, os quais deverão se unir acima da cabeça, voltando em seguida para a posição inicial. Diga para repetirem várias vezes.

Explicite que o que estão exercitando é a coordenação motora de seus movimentos e que esse é o tema da oficina, no qual jogarão o “jogo coordenado”, uma adaptação do basquete.

Com giz, divida a quadra em duas semiquadras, A e B. No final de cada campo das duas semiquadras, faça um círculo.

Forme quatro equipes. Na semiquadra A, jogarão as equipes 1 e 2; e, na semiquadra B, as equipes 3 e 4.

Na semiquadra A, a equipe 1 defende em seu campo e ataca no lado do campo da equipe 2. A mesma coisa ocorre na semiquadra B. No círculo, ao fundo de cada campo, fica um jogador – a cesta humana – da equipe adversária. Esse jogador deve tentar agarrar a bola sem sair do círculo, nem projetar seu corpo para fora dele.

A maneira de jogar é semelhante à do basquete. Para se locomover, os jovens deverão realizar as habilidades motoras básicas de passar (lançar) e quicar a bola. Não é permitido andar segurando a bola. Conta-se um ponto toda vez que o jogador que é a “cesta” do círculo conseguir segurar a bola. Porém só é possível lançar a bola para a “cesta” depois que ela passar por todos os jogadores. Ganha a equipe que fizer mais pontos.

Uma variação possível é formar agora duas equipes, jogando em toda a extensão da quadra. Nesse caso, é necessário desenhar novos círculos para as “cestas” das duas equipes.

Hora de avaliar
Reúna as equipes e avalie o jogo. Eles gostaram? Que movimentos foram mais utilizados? Cada movimento foi feito separadamente do outro ou alguns movimentos foram feitos ao mesmo tempo? Como se consegue fazer mais de um movimento de uma única vez? Foi divertido? E jogar em miniquadras, é interessante? O que elas nos possibilitam? Como foi a contribuição pessoal dentro da equipe? Houve conflitos? Como foram resolvidos?

Para ampliar

O que mais pode ser feito?
Em grupos, os jovens podem criar uma sequência de movimentos, com uma solicitação inicial mínima de coordenação motora que, gradativamente, vai requerendo mais coordenação. Os movimentos podem ser acompanhados por músicas ritmadas. No fim, cada grupo pode apresentar sua sequência aos demais.

Para saber mais
A coordenação motora é uma das capacidades físicas, tal como a força, a resistência, a flexibilidade. Ela está presente nos mais variados movimentos do dia a dia, nas atividades de lazer, de trabalho e nas outras tarefas do cotidiano, como pular uma poça de água, levar o garfo até a boca, dirigir um carro, jogar bola etc.

Trata-se da capacidade de realizar um ou vários movimentos de maneira ordenada, ou seja, a combinação de vários movimentos ao mesmo tempo, com eficiência e economia de energia.
É ela que nos possibilita a combinação de vários movimentos, ao mesmo tempo, com eficiência e economia de energia.

Nascemos com a possibilidade de desenvolvê-las por meio da prática sistemática de movimentos, no decorrer de nossas vidas. À medida que aprendemos novos movimentos e fazemos a combinação com o que já sabemos, estamos aprimorando a nossa coordenação motora.

Fonte de Referência
VIEIRA, Adriano; JORGE, Laércio de Moura. Movimento é vida: ensinar e aprender – Educação Física – Ensino Fundamental Ciclo II. São Paulo: Cenpec, 2007.

Gostou?
Então acesse a oficina “Jogo dos quatro gols”, deste banco.

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 2 comentário(s)

  •    JAQUELINE DE BRITO SOUZA  em 
         Educação&Participação respondeu em 
  •    Malik  em