Educação&Participação

Videoaula com jogos que desenvolvem diversos grupos musculares, atenção e trabalho em equipe.

Início

  • O que éO que é

    Jogos envolvendo vários grupos musculares, atenção e raciocínio lógico, trabalho em equipe.

  • PúblicoPúblico

    Crianças e adolescentes.

  • MateriaisMateriais

    Jogo da Velha: nove arcos ou bambolês ou círculos de barbante, distendidos no chão, ou cordas em formato de jogo da velha ou, ainda, círculos desenhados com giz, 16 cones, coletes de papel, com duas cores diferentes, para identificar as equipes. Jogo Base 4: Cinco arcos ou bambolês ou círculos de barbante distendidos no chão ou cordas ou círculos desenhados com giz;Uma bola de vôlei ou de iniciação; coletes de papel com duas cores diferentes, para identificar as equipes.

  • EspaçoEspaço

    Na quadra, ginásio, campo de futebol.

  • DuraçãoDuração

    Um encontro de aproximadamente 1h30min (45 minutos para cada jogo).

  • FinalidadeFinalidade

    Promover a integração e a inclusão de todos os educandos, estimular o raciocínio lógico e a atenção, desenvolver diversos grupos musculares, valorizar a importância de cada um na atividade conjunta; desenvolver visão de conjunto do grupo.

  • ExpectativaExpectativa

    Condicionar os músculos dos membros superiores e inferiores; aprender a trabalhar em grupo, valorizando a importância de cada sujeito.

Na prática

eremin_oficina

 

Como desenvolver?

Primeira Parte: O Jogo da velha

Comece a oficina centralizando os educandos na quadra, em circulo.

Inicie a conversa, perguntando se eles conhecem e/ou já jogaram o ‘jogo da velha’. Peça para contarem como é o jogo e explique que irão jogá-lo na quadra, utilizando cones para a marcação dos lugares escolhidos pelas equipes.

Organize a quadra com antecedência. Disponha os arcos na posição do jogo da velha (03 linhas por 03 colunas); os cones ficarão no fundo da quadra, divididos em 2 conjuntos de  08, um para cada grupo, do lado oposto em que ficarão os educandos. Os educandos serão divididos em duas equipes e se organizarão em duas colunas. Acompanhe a organização da quadra e do jogo conforme o vídeo abaixo (4min51s):

E se?

Se alguém demonstrar cansaço durante a atividade, diga para parar, sentar-se, respirar fundo e peça para ajudá-lo a acompanhar o grupo que continua no exercício.

Proponha então que comecem o jogo. Ao sinal do educador, dois educandos sairão simultaneamente (um de cada coluna), correndo até os cones. Deverão retirar um cone e colocá-lo no “tabuleiro”. Após a colocação, voltam para o final da fileira, da qual sairão os dois que estão na sequência e assim, sucessivamente, até completarem três cones iguais nas posições, vertical, horizontal ou diagonal, ou após preencherem todo o tabuleiro. Vencerá aquela equipe que conseguir mais vezes posicionar seus cones em uma das posições: vertical, horizontal ou diagonal.

Veja abaixo, como o educador desenvolveu a atividade (6min43s).

E se?

Existe a possibilidade de ‘dar velha’, isto é, ninguém vencer a rodada. Se isso acontecer, nenhuma equipe pontua, e inicia-se uma nova jogada.

Segunda Parte: Base Quatro 

Comece a oficina reunindo os educandos na quadra, em circulo. Inicie a conversa, perguntando se eles conhecem e/ou já jogaram o Jogo Base Quatro. Em seguida explique a atividade, apresentando os materiais que serão utilizados, as regras e dinâmica do jogo.

Organize a quadra, colocando os arcos formando um quadrado e um deles no centro desse quadrado, conforme figura abaixo:

oficina - base de quatro

Os educandos serão divididos em duas equipes, A e B, uma ficando em fila no fundo da quadra e outra espalhada nela.

Equipe A: forma uma fileira na frente da Base do Jogo, escolhendo um educando que iniciará o jogo como Rebatedor.

Equipe B: Escolherá um educando para ser o lançador, que ficará no círculo central, enquanto os outros membros da equipe ficarão espalhados entre os demais círculos.  Veja a organização dos adolescentes no esquema abaixo e no vídeo que segue (3min44s minutos, ao todo).

oficina - base de quatro2
O Lançador da Equipe B arremessará a bola para o Rebatedor da Equipe A, que deverá chutá-la. Após rebater, o mesmo deverá percorrer todas as bases em sentido anti-horário, até chegar ao ponto de partida.

E se?
Se um educando chutar a bola mais forte e a mesma sair do espaço utilizado, deverá haver uma bola reserva para que o jogo não pare. Caso isso não seja possível, o jogo será paralisado até que a bola volte para o jogo, sendo que todos deverão ficar na mesma posição.

A Equipe B deverá pegar a bola e passá-la para o Lançador. Quando a bola chegar às mãos do lançador, o rebatedor deverá parar onde estiver. Caso a Equipe B tenha conseguido pegar a bola, sem que a mesma tenha tocado no chão (pegar a bola no ar), ela ganha 02 pontos.

Após a bola chegar às mãos do Lançador, se o Rebatedor da Equipe A estiver fora das bases, ele é considerado queimado, e volta para o final da fila. Caso ele esteja dentro de uma das bases, ele permanecerá nela e aguardará até o reinício da jogada, pelo próximo rebatedor. Após o início da nova jogada, ele poderá continuar o percurso até finalizá-lo.

A primeira rodada termina, após todos os integrantes da  Equipe A realizarem o percurso. Em seguida as equipes mudam de posição e o jogo recomeça. Vencerá a equipe que tiver a maior pontuação ao final do jogo. Veja como acontece o jogo, no vídeo abaixo (3min44s):

Hora de avaliar:

Para finalizar a atividade, convide novamente o grupo a sentar em círculo, na quadra, e pergunte como foi para eles participarem da atividade. Levante o que eles mais gostaram e o que foi desafio. Pergunte também se eles se divertiram e se gostariam de repetir essa atividade em outro momento.

Veja como avaliaram os adolescentes da turma do educador Gil (3min15s):

Para ampliar

O que mais pode ser feito?

Primeira Parte: O Jogo da velha

Essa atividade possui uma variação, que é interessante principalmente para os grupos de adolescentes a partir de 11 anos.

Para aumentar o grau de dificuldade durante a atividade, cada jogador poderá ter duas possibilidades de jogada: a primeira é colocando o seu respectivo cone onde desejar, ou retirar o cone da equipe adversária, porém ele poderá utilizar apenas uma jogada de cada vez.

Segunda Parte: Base Quatro 

Essa atividade possui uma variação, que é interessante, principalmente para os grupos de adolescentes a partir de 11 anos.

Para aumentar o grau de dificuldade durante a atividade, é possível inserir atrás do rebatedor uma trave ou golzinho de ferro, e após a chegada da bola no lançador, o mesmo deverá lançar a bola para alguém da sua equipe e tentar fazer um gol. O jogo paralisa após essa jogada.

Para saber mais

Conheça um pouco mais da organização onde foi gravada a oficina:

Fontes de Referência

FARINATTI, Paulo de. Criança e Atividade Física.

ARRIBAS, Teresa Lleixà. A educação física de 03 a 08 anos. Editora ArtMed.

Gostou?

Acesse também a oficina “Jogo coordenado”, deste banco.

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 4 comentário(s)

  •    Lânica  em 
         Educação&Participação respondeu em 
  •    Isabel Vitória  em 
         Educação&Participação respondeu em 
  •    Aron Schulz  em 
         Educação&Participação respondeu em 
  •    Jardel  em 
         Educação&Participação respondeu em