Educação&Participação

Exercício de planejar o orçamento pessoal.

Início

  • O que éO que é

    Exercício de planejar o orçamento pessoal.

  • PúblicoPúblico

    Jovens

  • MateriaisMateriais

    Planilhas para registro

  • EspaçoEspaço

    Na sala de atividades

  • DuraçãoDuração

    Dois encontros de 1h30 (uma hora e trinta minutos), cada.

  • FinalidadeFinalidade

    Aprender a planejar o uso do dinheiro, em função de um projeto de vida.

  • ExpectativaExpectativa

    Saber construir uma planilha de entrada e de saída de dinheiro; discriminar em que é mais importante gastar o dinheiro.

Na prática

Primeiro encontro: De onde vem e para onde vai meu dinheiro?

Faça um levantamento de quantos jovens já se encontram ativos no mercado de trabalho e quantos estão próximos disso, como aprendizes.

Peça para que os que já estão empregados falem sobre seus empregos:  Se gostam? Sentem-se reconhecidos? Acham que a remuneração é condizente com o trabalho realizado? O que fazem com o salário?

Para os que ainda não estão no mercado de trabalho, peça para que descrevam suas expectativas em relação aos futuros empregos: tipo de emprego que desejam, quanto acham que podem  conseguir de salário e o que pretendem fazer com o salário que  ganharão.

Para os que já recebem salário, questione se algum deles faz orçamento, se registra o que ganha e o que gasta e por que faz isso.  Conte quantos são e os que fazem esse registro, em relação ao total dos que trabalham no grupo.

E se?

Se alguém disser que “sim”, peça para contar ao grupo como faz o registro e que demonstre com um esquema na lousa.  Diga também para contar em que essa projeção o está beneficiando.

Chame a atenção dos outros alunos sobre sua fala, para os dados registrados e inicie uma conversa a respeito da importância do orçamento.

Para que o dinheiro obtido com o trabalho não seja gasto em vão, é necessário  que se tenha um controle efetivo das receitas (dinheiro que entra) e das despesas (dinheiro que sai), bem como nos organizarmos e definirmos o que tem de ser feito com esse dinheiro, de modo a atender às necessidades e realizar  os projetos de vida, em menos tempo e a menor custo possível.

Será que sabemos quanto gastamos do nosso dinheiro, todo mês? Temos ideia de como as despesas comportam-se? Sabemos quais itens consomem a maior fração de nossa renda? Quanto será que nós já pagamos de juros neste ano? Costumamos planejar nossos gastos? E a poupança?

O controle e o planejamento financeiro, bem como a anotação de todas as receitas e despesas realizadas, ajudam a obter respostas para essas perguntas fundamentais.

O orçamento pessoal oferece uma oportunidade para avaliarmos e organizarmos nossa vida financeira e definirmos prioridades que impactam nossa vida. Ajuda também a identificar e entender nossos hábitos de consumo.

Um importante princípio a ser seguido na elaboração do orçamento é que as despesas não devem ser superiores às receitas. Mais do que isso, é prudente que as receitas superem as despesas para que se possa formar uma poupança  suficiente para eventuais emergências e  a realização  de projetos futuros.

É interessante chamar a atenção, nesse momento, para a importância do investimento  em  estudos que oferecem oportunidade de crescimento como pessoa e o acesso a outras experiências de vida e de trabalho, mais enriquecedoras e melhor remuneradas e, por isso, deve ser prioridade. No momento de “aperto”, diminui-se o lazer, mas não os estudos.

Projete para eles o vídeo “Aprenda a controlar suas finanças pessoais e familiares”, do Youtube, que traz o depoimento de dois jovens (um homem e uma mulher) sobre quando e como começaram a planejar seus gastos, por meio da elaboração de um orçamento simples.

Então, convide os alunos a um exercício de elaboração de um orçamento, em duplas, de preferência compostas por um jovem que já tenha trabalho e um que não tenha.

Em primeiro lugar, eles vão relacionar tudo o que gastam e registrar os valores desses gastos.

Distribua uma tabela com alguns itens já relacionados, como exemplo, para facilitar. O preenchimento será feito conforme utilizem ou não os itens ou elementos descritos.

E se?

Se eles não fizerem uso dos itens descritos, não devem preencher. Só devem preencher os itens que costumam consumir. É importante também que o educador faça uma adaptação dos itens abaixo, de acordo com a faixa etária, características regionais e condições socioeconômicas de seu grupo.

 

RELAÇÃO RECEITA E DESPESA

 

Itens de consumo Descrição dos itens. Valor dos itens descritos em reais
Moradia  aluguel
condomínio
luz
água
outros
Alimentação padaria
supermercado
cantina
cafezinho
outros
Transporte ônibus
metrô
outros
Estudos
cursos
material
outros
Saúde
convênio médico
dentista
farmácia
outros
Comunicação
telefone fixo
celular
TV
internet
revistas
 jornais
outros
Lazer
cinema
pizzaria
baladas
festas
saraus
outros
Poupança Para projetos a curto, médio e longo prazo
TOTAL DOS GASTOS

 

 

Segundo encontro: Das descobertas às ações

Neste segundo encontro, as duplas vão analisar a planilha dos gastos para verificar a  adequação dos gastos às receitas. Para isso, preencherão os dados que pede o roteiro abaixo. Percorra  as duplas para ajudá-las a analisar a situação encontrada.

RECEITA    :  R$ …………………..

DESPESAS: R$ ………………….

Há equilíbrio entre a receita e a despesa?

____________________________________________

 

A receita é maior que as despesas?

____________________________________________

 

Há uma reserva para poupar?

____________________________________________

 

A receita é menor que as despesas?

____________________________________________

 

O que se pode cortar?

____________________________________________

Neste último item é importante colocar na balança o que é prioridade e o que não é, colocando-se numa ordem decrescente de importância os vários gastos feitos. Lembrar que os estudos devem ser preservados o mais possível.

Encaminhada uma solução, eles preencherão nova ficha, registrando o que podem gastar, no máximo, em cada item, para não ultrapassar a receita e, ainda, deixar alguma reserva na poupança.

 

PLANEJAMENTO DOS GASTOS FUTUROS

Itens de consumo

Descrição dos itens.

Valor dos itens descritos em reais

Moradia

aluguel

condomínio
luz
água
outros
Alimentação padaria,
supermercado
cantina
cafezinho
outros
Transporte ônibus
metrô
outros
Estudos cursos
material
outros
Saúde convênio médico
dentista
 farmácia
outros
Comunicação telefone fixo
celular
TV
internet
revistas
 jornais
outros
Lazer cinema
pizzaria
baladas
festas
saraus
outros
Poupança Para projetos a curto,
médio  e longo prazo.

TOTAL DOS GASTOS

 

Após 45 minutos de trabalho e registro, abra a discussão e cada dupla exporá o diagnóstico que fizeram da relação de seus gastos e como encaminharam a planilha do orçamento futuro.

 

Hora de Avaliar:

Organize a roda final para que avaliem a oficina. Peça que ponderem se as atividades foram uteis para que percebessem que planejar e controlar seu dinheiro são importantes para se viver com mais tranquilidade e realizar projetos de futuro.

Pergunte, ainda, como foram as atitudes em relação às diferenças individuais: houve tolerância e respeito de uns para com outros?

 

O que mais poderá ser feito?

Com a ajuda do professor de Matemática, os estudantes poderão calcular as porcentagens de cada item da tabela dos gastos, em relação à receita geral, para afinar mais a percepção de seu orçamento. Assim, ficarão sabendo que porcentagem cada um desses itens consome do salário e quais itens consomem a maior parte de sua renda. 

Fontes de Referência:

Livro:

Dessen, Marcia Belluzo. Cuide bem do seu dinheiro. São Paulo: Pearson Education doBrasil, 2013.

Caderno de Educação Financeira Gestão de Finanças Pessoais (Conteúdo Básico)

 

 

Para ampliar

 

O orçamento é um instrumento de planejamento financeiro pessoal que contribui para a realização de sonhos e projetos.

Para que se tenha um bom planejamento, é sempre necessário saber aonde se quer chegar e estabelecer metas claras e objetivas, partindo de um diagnóstico da situação atual.

Para termos esse diagnóstico, em se tratando de planejamento financeiro, é importante organizar e registrar toda a movimentação do dinheiro:

  • as receitas (rendas),
  • as despesas (gastos)
  • os investimentos.

Esses registros permitirão avaliar a nossa vida financeira: em que gastamos? Com o que gastamos mais? Nossos gastos são menores ou maiores que as receitas? Temos o hábito de poupar?

Se as despesas forem menores que as receitas, ótimo. Pois esse excedente pode ser poupado para uma emergência ou para a realização de projetos. Agora, se as despesas forem maiores que as receitas, é hora de parar para pensar em cortar alguns itens…

Com o tempo, o orçamento ajuda as pessoas a manterem as receitas maiores que as despesas. Esse é um dos objetivos básicos da boa gestão financeira pessoal.

Quando esse objetivo é atingido, deve-se cultivar o hábito de poupar regularmente. Aliás, ao se tornar uma pessoa superavitária, ou seja, que consegue fazer sobrar uma parte do dinheiro que ganha, a primeira coisa a fazer, ao receber uma renda, deve se separar parte dela para poupar, antes mesmo de pagar qualquer despesa. A poupança deve ser encarada como um compromisso com si mesmo.

Gostou?

Veja também a oficina “Quanto custam os meus sonhos”, deste banco.

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)