Educação&Participação

Navegação pela Plataforma Cidades Sustentáveis.

Início

  • O que éO que é

    Navegação pela Plataforma Cidades Sustentáveis.

  • PúblicoPúblico

    Adolescentes e jovens.

  • MateriaisMateriais

    Datashow, internet, um computador para cada dupla com caixa de som e fones de ouvido, dicionário, folhas de papel pardo, pincéis atômicos, tarjetas de cartolina ou sulfite.

  • EspaçoEspaço

    Sala de informática, telecentro ou lan house.

  • DuraçãoDuração

    Dois encontros de aproximadamente 1h30 cada.

  • FinalidadeFinalidade

    Vislumbrar possibilidades de sustentabilidade da cidade, do país, do planeta; perceber-se como agente de perpetuação ou de transformação de atitudes e hábitos, em seu cotidiano.

  • ExpectativaExpectativa

    Apropriar-se de experiências alternativas de sustentabilidade, que estão ocorrendo em diferentes cidades do mundo; desenvolver atitudes sustentáveis e de participação social; desenvolver habilidades de busca de informações no mundo virtual, explorando diferentes recursos oferecidos por ele.

Na prática

c4b01b9e74b8942e3465a17d52569c46afa4219ab149f7db3d688bec266b7e3d6g

Como desenvolver?

1º encontro – Descobrindo o significado do programa e da plataforma Cidades Sustentáveis.

Apresente, na roda inicial, a música Herdeiros do Futuro, de Toquinho, por meio da projeção, em datashow, do vídeo com letra e música da canção, encontrado no site Terra.

E se?

Se a sua instituição não possui data show, procure parceria com o telecentro da região, se houver, ou com uma lan house do entorno, para realizar a oficina lá ou, ainda, solicite o empréstimo do equipamento em alguma instituição educativa do território.

Pergunte se conhecem a canção e discuta com eles a letra dela: de que tema trata? Por que será que o compositor compôs essa letra? Que preocupação ele demonstra com ela? E nós, também temos essa preocupação? O que ele propõe? E quanto ao termo sustentável, já ouviram falar? O que pensam que seja?

Provavelmente eles já terão ouvido falar em desenvolvimento sustentável e sabem que se trata de alguma coisa relacionada à preservação do planeta.

Peça para algum estudante procurar o significado de sustentável no dicionário e ler em voz alta para a turma. Em seguida, peça para um outro acessar na internet o site de busca Google projetado no datashow, digitar a palavra sustentável na tarjeta de pesquisa e entrar em dois dos sites indicados para ler algumas definições de sustentabilidade.

Ajude-os a escolher dois sites mais conhecidos e confiáveis em relação ao conteúdo em questão, como os de órgãos governamentais, universidades, ONGs ligadas ao meio ambiente.

Converse com eles sobre o que entenderam do que foi lido. Chame a atenção para o fato de que o conceito de sustentabilidade hoje é mais amplo do que apenas preservação ambiental, incluindo o cuidado com as pessoas e isso significa a erradicação da pobreza e da miséria e justiça social.

Agora pergunte se já ouviram falar em cidades sustentáveis: já leram nos jornais ou viram na TV ou na internet algo a respeito?  Aproveite os conteúdos que trouxerem e, partindo deles, conduza-os para, em duplas, acessar ao site do Programa Cidades Sustentáveis.

Eles precisarão de um tempo de navegação pelo site para se familiarizar com ele. Depois de uns cinco minutos, aproximadamente, dê orientação para que realizem as seguintes atividades, na sequência proposta:

  Assistir ao vídeo explicativo do programa (11min 30s);

 Acessar, na página inicial, a seção BOAS PRÁTICAS. Lá encontrarão várias experiências de cidades do mundo todo, que se revezam por chamadas ilustrativas e interessantes na tela. Convide-os a observar as várias experiências, escolher uma para conhecer e socializar com o grupo. Para isso, deverão anotar o nome da cidade, o país a que pertence a referida cidade, a quantidade de seus habitantes e a natureza da experiência que desenvolve (caso não localizem na página, podem acessar pelo menu);

  Entrar na rádio CBN – programa cidades sustentáveis e ouvir a notícia que ela traz sobre cidades em busca da sustentabilidade (7min 10s);

  Organizar a apresentação que farão ao coletivo para socializar:

– o que entenderam sobre o programa cidades sustentáveis

– a boa prática escolhida: qual é, como acontece;

– o que pensam da experiência noticiada na rádio CBN;

– que diferenças notaram entre as diferentes fontes de informação:

vídeo, áudio, texto escrito.

 

Eles vão precisar de um tempo de aproximadamente 60 minutos para assistir ao vídeo, explorar as boas práticas, ouvir a notícia do rádio e conversar entre si para a organização da apresentação ao coletivo, além de discutir opiniões. Enquanto isso, percorra as duplas, ajudando-as a navegar e a entender os discursos veiculados nas diferentes mídias disponíveis no site.

Abra, então, a roda, para a socialização dos pontos citados e em seguida desencadeie o debate com as perguntas: Como veem o movimento das cidades sustentáveis? Aprovam o movimento? O que acham dos candidatos a cargos no executivo e dos partidos políticos serem chamados a publicamente aderirem ao movimento? Isso tem consequências? Se tem, quais são? E quanto à plataforma? O que acharam dela? Perceberam que é possível se cadastrar e receber constantemente boletins informativos sobre o que está acontecendo no mundo sobre sustentabilidade?

Ao final, registre com eles, em um cartaz para ficar exposto na sala e em um arquivo de texto, para ser consultado quando quiserem, no computador, as ideias que consideram centrais sobre o programa cidades sustentáveis. Não devem se esquecer de colocar a data em que foi realizada a atividade.

2º encontro – Pensando na sua cidade sustentável

Retome com eles os registros que fizeram no primeiro encontro da oficina e organize a turma em grupos de 5 ou 6 jovens.

Os grupos terão como tarefa pensar nos pontos vulneráveis de sustentabilidade de sua cidade – como o trânsito, a coleta de lixo, a poluição de rios, a construção de moradias em regiões de risco – e escolher um deles para discutir, com base nas experiências que conheceram pelo site cidades sustentáveis, o que poderia ser feito para transformar tal situação.

Após 45min aproximadamente, abra a roda para cada grupo expor no coletivo o problema escolhido, o que pensam sobre ele e que proposta fazem para enfrentá-lo, tendo como referência as experiências visitadas no site que tratam de problema semelhante.

Ao final, definirão, por consenso, três propostas como prioritárias e indicarão alguns colegas para compor uma comissão que, com a ajuda dos educadores sociais e de alguns professores, como os de Ciências, Química, Biologia, Física e o de Português, escreverão uma carta, abordando essas questões, a ser enviada para a Secretaria do Meio Ambiente da cidade e à Câmara Municipal.

Será importante verificar se existe site específico da secretaria ou da prefeitura e da câmara e se é possível a postagem direta da carta ou se é necessário enviá-la por e-mail. No caso de não se dispor de tais recursos, a carta deverá ser protocolada e enviada por correio. Essa mesma comissão ficará responsável por fazer o acompanhamento do destino da carta e da resposta obtida.

Hora de avaliar

Em roda, retome com eles todo o processo vivido desde o primeiro encontro. Então, forme duplas que conversarão por uns cinco minutos, entre si, sobre o que representou a oficina realizada para eles, em termos de aprendizagem. Quando as duplas concluírem, solicite que escrevam numa tarjeta de papel as aprendizagens consideradas mais importantes sobre o assunto. Peça a alguma dupla que registre essas aprendizagens no cartaz da sala e no arquivo do computador.

Para ampliar

O que mais pode ser feito?

Um plano de divulgação comunitário do programa. Os jovens, com o apoio dos educadores sociais (ONGs) e dos professores de Ciências, Geografia, Química, Física, Biologia (escolas) podem convidar instituições da região e organizar uma oficina para apresentar a elas o programa cidades sustentáveis. Nessa apresentação, será atrativo projetar a plataforma para que se apropriem do significado e do alcance do programa. Após a navegação pela plataforma, poderá ser proposta uma discussão em grupos sobre como cada instituição pode socializar a plataforma e o programa com os respectivos usuários.

 

Gostou?

Veja a oficina “A água sustenta a gente; quem sustenta a água?” deste banco.

Veja também:

Os sites da Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis e da Rede Nossa São Paulo


Para saber mais

 

Metade da humanidade vive atualmente nas cidades. Em 2030, serão 60% e, em 2050, o total deverá estar em 70%. No Brasil, a população urbana chega a 85%. As cidades também são responsáveis por cerca de dois terços do consumo mundial de energia e por 75% de todos os resíduos gerados pela população.

Na medida em que as cidades vão crescendo em tamanho e população, aumenta também a dificuldade de se manter o equilíbrio espacial, social e ambiental. Nesse contexto, falar de dignidade humana, equidade e justiça social, segurança, trabalho, educação, economia, mudanças climáticas, saúde, meio ambiente, enfim, de qualidade de vida, é falar de cidades sustentáveis. Conforme dados da Organização WWF, nosso consumo de recursos naturais está perto de esgotar a capacidade do planeta de regenerá-los para sustentar a vida na Terra.

Sustentar origina-se do latim sustento, que significa suportar, suster, defender, proteger, favorecer, manter, conservar, cuidar. E sustentabilidade é a característica ou condição de renovação do conjunto de elementos necessários à manutenção da vida.

Segundo a conceituação de desenvolvimento sustentável assumida na Eco 92, II Conferência Mundial para o Meio Ambiente e Desenvolvimento, das Nações Unidas (ONU), realizada no Rio de Janeiro, o termo refere-se à conjugação da proteção ambiental, da justiça social e da eficiência econômica, por meio de estratégias de combate à pobreza e à miséria, de mudanças nos padrões de consumo e de propostas para a promoção da saúde pública e melhoria da qualidade dos assentamentos humanos.

Desta forma, temos que responder aos desafios que a globalização econômica
e o desenvolvimento tecnológico nos colocam, de forma a criar empregos numa economia baseada na informação; combater a pobreza e a exclusão social; assegurar uma proteção efetiva do ambiente; reduzir a nossa pegada ecológica; responder às alterações demográficas e garantir a diversidade cultural, além de evitar conflitos e manter a paz nas diversas comunidades brasileiras.

O Programa Cidades Sustentáveis tem o objetivo de sensibilizar, mobilizar e oferecer ferramentas para que as cidades brasileiras se desenvolvam de forma
econômica, social e ambientalmente sustentável. Para isso, o Programa Cidades Sustentáveis oferece a Plataforma Cidade Sustentável, uma publicação que apresenta múltiplas práticas de sustentabilidade urbana que estão acontecendo em diversas cidades do mundo.

O objetivo é proporcionar referências para ações públicas e privadas no Brasil, bem como contribuir com o debate eleitoral e com os programas de partidos e candidatos a eleições, a fim de promover maior qualidade de vida nas regiões urbanas. São 12 os eixos temáticos tratados pelo programa: Governança; Bens Naturais Comuns; Equidade, Justiça Social e Cultura de Paz; Gestão Local para a Sustentabilidade; Planejamento e Desenho Urbano; Cultura para a Sustentabilidade; Educação para a Sustentabilidade e Qualidade de Vida; Economia Local, Dinâmica e Sustentável; Consumo Responsável e Opções de Estilo de Vida; Melhor Mobilidade, Menos Tráfego; Ação Local para a Saúde; Do Local para o Global; Planejando Cidades do Futuro.

Fonte de Referência:

 

Obs: Os links informados na oficina foram visitados em 05 de junho de 2013 às 14:10:12

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)