Educação&Participação

Jogo de integração entre membros de um grupo.

Início

  • O que éO que é

    Jogo de integração entre membros de um grupo.

  • PúblicoPúblico

    Adolescentes e jovens.

  • MateriaisMateriais

    Objetos portáteis, à livre escolha dos participantes.

  • EspaçoEspaço

    Sala ampla ou espaço ao ar livre.

  • DuraçãoDuração

    O tempo pode variar conforme o tamanho do grupo, entre 30 e 180 minutos.

  • FinalidadeFinalidade

    Desenvolver o senso de observação e a capacidade de tomada rápida de decisões. Trabalhar noções como identidade individual e coletiva.

Na prática

objetos_em_acao

Como desenvolver?

Este jogo é muito adequado quando se necessita promover a integração entre membros de um grupo, sejam eles já conhecidos ou não. Também pode ser executado numa situação de conflito, já deflagrado ou iminente. A atividade demanda atenção e concentração.

Pode-se dizer também que auxilia o grupo a solucionar problemas de inter-relações.

Para começar, você precisará combinar com dois ou três participantes do grupo a estratégia para dar início ao jogo. Chame esses participantes escolhidos e converse com eles rapidamente, sem que os demais notem, sobre o que devem fazer para ajudar você a iniciar o jogo: peça-lhes que escolham um objeto qualquer, algo de que gostem ou que tenha a ver com eles, e que, assim que você iniciar o jogo, eles repitam o mesmo gesto que você fizer. Esses três participantes não devem se sentar um ao lado do outro, no círculo.

E Se?
Se o grupo estiver muito curioso sobre o que vai ser feito ou para que será usado o objeto, diga simplesmente que se trata de um jogo cujo objetivo é fazer com que todos se conheçam melhor. Se você fornecer muitas explicações para o grupo nesse momento inicial, poderá comprometer o resultado do jogo.

Se ao final de um certo tempo mais ou menos longo o grupo não chegar ao fim do jogo, esse fato indicará a você que o grupo poderá precisar de algumas outras ações de integração, ou atividades que levem uns aos outros a se conhecerem melhor. Nesse caso, esclareça ao grupo a motivação do jogo, discutindo o que leva a todos a não chegarem a um consenso.

Dê início ao jogo: reúna o grupo num círculo e fique você também no círculo como participante. Peça que se sentem e que escolham um objeto pessoal qualquer e tenham esse objeto em mãos. Então dê início ao jogo sem dar ao grupo muitas explicações sobre o que acontecerá.

Você se levanta, se aproxima do centro do círculo e cuidadosamente deposita lá o objeto escolhido por você, sem dizer nada. Retorna ao seu lugar.

Em seguida, um dos participantes que combinou com você o início do jogo fará a mesma coisa que você fez. O segundo também. E também o terceiro.

Desta forma, o grupo deverá perceber que o objeto escolhido deverá ser depositado em algum lugar dentro do círculo, estabelecendo alguma relação com os demais objetos.

À medida que o grupo for ficando mais confiante, você pode se levantar e “ajeitar” algum objeto que lhe pareça fora do lugar. Fazendo assim, você dará a entender que os outros poderão também alterar posições de objetos, mexer neles, colocá-los em interação com outros, transformá-los.

Proocure manter o silêncio. Se o grupo começar a fazer algum barulho ou conversar, faça algum gesto (sem usar palavras) que indique ao grupo que não se deve falar neste momento.

Essa dinâmica do jogo se mantém até que todos tenham posicionado o objeto escolhido em algum lugar dentro do círculo e até que nenhum participante sinta vontade de modificar a posição de algum dos objetos.

Isso pode levar mais ou menos tempo, o importante é que cada um do grupo tenha o direito de se manifestar até que se sinta confortável com os objetos no círculo. Você detectará o momento de terminar o jogo quando ninguém mais se levantar para modificar a posição dos objetos.

Hora de avaliar

No momento que o jogo terminar, você então toma a palavra, convidando todos a ficarem em pé, próximo dos objetos, formando um círculo menor em torno deles. Peça que observem atentamente a imagem formada e que cada um explique por que escolheu aquele objeto e o que esse objeto representa para ele.

Um por um, todos devem ter direito de falar e se expressar. Em seguida, você convida cada um a observar a imagem formada e, um a um, dizer o que essa imagem representa, que sentidos pode ter. Você pode anotar o que os meninos e meninas disserem nesse momento.

É importante apenas observar se o grupo foi capaz de constituir a atividade com tranquilidade, de modo que cada um, ao final, tenha podido expressar o que sentiu ao escolher o objeto e o que percebeu da imagem formada.

Pode ser que o grupo não chegue ao final e você tenha sido obrigado a interromper o jogo. Se isso acontecer, no momento da avaliação, comente com o grupo esse fato, e deixe que expressem livremente o porquê de não terem se sentido confortáveis com a disposição dos objetos.

Para ampliar

O que mais pode ser feito?

Após o jogo, para descontrair o grupo e relaxar, você poderá proporcionar uma atividade que envolva movimentos, alongamento do corpo, se possível ao ar livre.

Gostou?

Veja neste banco de oficinas uma atividade chamada “Dança coral”, cujo objetivo é semelhante ao deste jogo e que poderá ser utilizada em continuidade a essa atividade, sobretudo se o grupo, ao final, não chegar a um consenso sobre a posição dos objetos no círculo.

 

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)