Educação&Participação

Debate sobre a propaganda e as técnicas persuasivas de venda.

Início

  • O que éO que é

    Debate sobre a propaganda e as técnicas persuasivas de venda.

  • PúblicoPúblico

    Adolescentes e jovens

  • MateriaisMateriais

    Um computador por dupla, com acesso à internet, prints de algumas imagens do vídeo, baú de adereços para teatro

  • EspaçoEspaço

    Na sala de aula e no laboratório de informática.

  • DuraçãoDuração

    Um encontro de 1h 30 (uma hora e trinta minutos).

  • FinalidadeFinalidade

    Compreender o próprio perfil de consumidor para saber melhor como lidar, de forma autônoma e consciente, com as propagandas e técnicas agressivas de venda.

  • ExpectativaExpectativa

    Conhecer algumas técnicas de venda utilizadas para induzir o consumidor a ter ilusões quanto ao custo dos produtos e às formas de pagamento.

Na prática

Neste encontro, será trabalhado com os alunos o vídeo “Duas vezes Judite”, do Banco Central do Brasil, que trata das situações cotidianas em que nos vemos acuados pela força da propaganda.

Para introduzi-los ao tema, pergunte se alguma vez se sentiram enganados pela propaganda de algum produto que compraram. Qual foi esse produto? Peça que contem a experiência vivida e levantem hipóteses sobre a razão de isso acontecer. E que falem também sobre as consequências desse fato na vida deles. Aprenderam alguma lição? Qual foi?

Anuncie a projeção do vídeo “Duas vezes Judite”:

 

Oriente que observem em:

– como o vendedor tenta seduzir Judite para a compra;

– a forma como Judite reage na primeira e na segunda experiência.

Terminada a projeção, levante algumas questões com eles: o que o apresentador fez para convencer Judite a comprar? Que argumentos ele utilizou? Judite, de fato, precisava dos produtos que comprou? Por que Judite recusou as compras na segunda vez? Julgam que Judite ficou mais feliz quando comprou todos aqueles produtos ou quando os recusou? Por quê?

E vocês, como reagiriam no lugar dela?

Em roda, exponha as imagens tiradas do vídeo (prints) e peça que cada um escolha uma delas para se identificar e comentar como reagiria no lugar da Judite: igual a ela? Iria ceder? Precisaria de uma segunda chance, também?

Com essa análise crítica, é possível perceber como se apresentam e como são vistos, pelo vendedor, e identificar quais são os seus pontos fracos e quais  os pontos fortes, o que os ajudará na tomada de decisões conscientes de consumo.

Chame a atenção dos alunos para que percebam que a publicidade causa impacto nas pessoas pela imagem, pelas palavras, pelos tempos verbais empregados, pelas cores e pelos sentimentos que são veiculados. É importante estarmos atentos a esses detalhes quando somos atingidos por ela.

A seguir, organize a turma em grupos e oriente para que construam uma pequena representação teatral de uma situação em que o consumidor é alvo de técnicas de venda agressivas, devidamente planejadas, para fazer pressão psicológica sobre o consumidor. Após uns 20 minutos, cada grupo apresentará  sua produção para o coletivo.

 

Hora de Avaliar:

Sentados em círculo, proponha que façam uma avaliação da oficina: que aprendizagens ela propiciou? Acham que podem compartilhar essas aprendizagens em casa, com a família? E com os amigos? Como fariam isso? Como foi o processo coletivo no grupo? Todos participaram? Como foi a contribuição de cada um?

 

O que mais poderá ser feito?

Uma peça de teatro, a partir das várias produções dos grupos, para apresentar às outras turmas da instituição e mesmo à comunidade, seguida de um debate. O professor de arte e o professor de português poderão ajudar bastante.

Você pode também estimular os alunos a trazerem, ao longo de algum tempo, anúncios e peças publicitárias para analisar os detalhes da composição: cores predominantes, imagens que sugerem movimento ou som, relação entre os elementos verbais e não verbais e a relação que a publicidade busca com outros textos (intertextualidade), técnica muito usada em textos publicitários.

 

Fontes de Referência

Livro:

Dessen, Marcia Belluzo. Cuide bem do seu dinheiro. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2013.

Site Cidadania Financeira

 

Para ampliar

Para saber mais

As técnicas de venda e a tecnologia colocada à disposição dos profissionais de marketing impulsionam os consumidores a, eventualmente, realizar compras não planejadas ou por impulso, o que pode provocar desequilíbrio no seu orçamento ou até mesmo o endividamento.

Estar atento aos atrativos do marketing é condição para desenvolvermos a nossa autonomia e a capacidade de escolha, frente às múltiplas possibilidades de consumo que nos são oferecidas o tempo todo nas ruas e pelos meios de comunicação.

Algumas atitudes nos ajudam bastante a tomar decisões conscientes, como comparar o valor do preço à vista com o total em parcelas; não se iludir com promoções especiais que “estão para acabar”; não sair com o cartão de crédito, porque ele pode levar a gastar mais; fazer pesquisa de preços antes de comprar.

Mas, para o consumidor firmar um posicionamento pessoal frente a essa situação, é preciso antes se conhecer, conhecer os próprios pontos fracos e fortes para poder lidar com eles, a seu favor.

Muitas vezes o conhecimento sobre economia, psicologia, sociologia e antropologia são utilizados como ferramentas para vender mais, para persuadir o cliente a comprar o produto oferecido.

As teorias psicológicas e comportamentais usadas pelo marketing trabalham com os desejos inconscientes do consumidor, com o que está por trás da compra. Algumas pessoas, por exemplo, podem justificar a escolha de um carro com base em características técnicas, como o desempenho, os acessórios e as funcionalidades, mas secretamente, lá no fundo, é porque o associam a certo status, ao aumento de prestígio junto aos amigos e colegas de trabalho. O mesmo pode valer para um par de tênis.

É importante que, qualquer que seja a decisão tomada, conheçamos a fundo as nossas reais motivações. Isso certamente nos ajudará a tomar decisões, de forma mais consciente.

Gostou?

Acesse também a oficina “Preciso ou quero”, deste banco.

 

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)