Educação&Participação

Conjunto de atividades que estimula os jovens a conhecerem recursos existentes no entorno da escola/ organização.

Início

  • O que éO que é

    Conjunto de atividades que estimula os jovens a conhecerem recursos existentes no entorno da escola/ organização

  • PúblicoPúblico

    Adolescentes e jovens.

  • MateriaisMateriais

    Papel flip chart ou cartolina para construção de cartazes, papel sulfite, cadernos ou blocos para anotações, tesoura, cola, canetas hidrográficas coloridas, cópias do mapa de ruas do bairro, máquinas fotográficas e/ou telefones celulares com câmera, computador, data show.

  • EspaçoEspaço

    Sala ampla, com algumas visitas.

  • DuraçãoDuração

    Duas sessões de 90 minutos.

  • FinalidadeFinalidade

    Avaliar a qualidade de vida dos moradores de um bairro.

Na prática

ruas

Como desenvolver?

Sessão 1: Mapeamento da qualidade de vida dos habitantes do bairro

Acolha o grupo, organizando-o para a atividade. Inicie, por exemplo, com a audição de músicas que tenham em suas letras referências a nomes de ruas.

Sugestões de músicas que podem ser usadas: Se essa rua fosse minha – cantiga popular; Pelas ruas que andei (Alceu Valença) Carta ao Tom – Chico Buarque -, O nome dessa rua – Acústicos e Valvulados –  ou outras que conheça). O educador não deve se esquecer de contextualizar os nomes próprios que aparecem na letra da canção de Chico Buarque.

Ao terminar a audição converse com o grupo sobre as músicas ouvidas, pergunte se eles conhecem outras letras que tenham nomes de ruas como tema. Não se preocupe em aprofundar os comentários. O que de fato importa é criar um clima favorável para a atividade.

A seguir introduza a proposta da oficina. Esclareça à turma que este trabalho tem por objetivo discutir a qualidade de vida dos habitantes do bairro onde se situa a instituição/escola, a partir do conhecimento das ruas.

Para iniciar, convide os jovens a realizarem com você uma viagem imaginária. Aconselhe-os a fecharem os olhos e a imaginarem as ruas do bairro a partir de perguntas feitas por você, educador. Informe-lhes que, neste momento, não precisam fazer anotações, basta que imaginem e “sintam” as ruas que eventualmente já conheçam. Clique aqui para algumas sugestões de perguntas.

Após algum tempo (algo em torno de dez a quinze minutos) interrompa as questões e abra uma conversa sobre a viagem imaginária. Vocês já haviam parado para pensar sobre as ruas do bairro onde se localiza nossa instituição/escola? O que a viagem imaginária revelou sobre a vida dos cidadãos deste bairro?

 

Você pode sistematizar as falas, organizando as informações a partir de itens como:

  Acessibilidade
  Segurança
  Limpeza, tratamento do lixo e saneamento básico
 Trânsito
 Comercio e serviços
 Lazer
 Arborização
 Outros aspectos identificados na viagem imaginária.

 

Divida a turma em equipes e entregue a cada uma delas um mapa das ruas do bairro onde fica a organização ou escola. Peça-lhes que identifiquem nesse mapa os recursos de qualidade de vida relacionados na atividade anterior, e a seguir apresentem suas conclusões.

Neste momento, é importante que você, educador, circule pelos grupos para garantir que as equipes escolham aspectos diferentes. Assim as exposições ficarão mais ricas e abrangentes.

Com esta tarefa, a turma poderá perceber diferenças e/ou semelhanças na qualidade de vida dos habitantes de um mesmo território; levantar hipóteses sobre a distribuição dos recursos no bairro e indicar formas de superar eventuais distorções.

Os conhecimentos aqui produzidos servirão de base para a próxima etapa desta oficina que envolverá uma visita a espaços do bairro: um local que conte com maior número de recursos e outro menos favorecido.

 

Sessão 2: Visita Monitorada

Até o momento, trabalhou-se nesta oficina com conhecimentos que os jovens já tinham sobre a qualidade de vida no bairro da instituição/escola. Nesta sessão eles terão oportunidade de contrastar suas percepções com os dados de realidade e conquistar novas informações.

Nesta oficina também é importante disponibilizar máquinas ou telefones celulares com câmeras para que os jovens possam tirar as fotos. Não haverá necessidade de que cada um tenha um aparelho. Um rodízio possibilita a atividade.

Inicie com a retomada do esquema de recursos do bairro construído na viagem imaginária e com a leitura dos mapas de ruas nos quais foram localizados os recursos nas diversas regiões do bairro.qualidade de vida no bairro da instituição/escola.

Com base nestes dados, escolha com a turma dois lugares a serem visitados. Planeje a saída, orientando que o trabalho agora será o de fotografar os recursos identificados nas atividades anteriores nos locais selecionados.

E se?

Para que as fotografias signifiquem real oportunidade de jovens construírem novos sentidos e conhecimentos sobre a qualidade de vida dos cidadãos residentes no bairro, é importante que se faça, antes da visita, uma aproximação com a técnica das fotografias. Confira em para ampliar algumas sugestões.

 

De volta à instituição/escola, organize a atividade e informe ao grupo que com as fotos em mãos farão comparações entre registros: o esquema da viagem imaginária, os mapas de distribuição dos recursos e as fotografias. Nesta análise, em equipes, os jovens poderão perceber a compatibilidade ou não entre informações que já dispunham e as trazidas pelas fotos para enfim tirar novas conclusões sobre a qualidade de vida dos moradores do bairro.

Neste momento, deverão ler e reler as fotos tiradas para selecionar as que melhor representam as condições de vida das pessoas. Feitas as escolhas, elaborarão legendas para as fotos e escreverão um texto final sobre as suas descobertas, dúvidas e eventuais necessidades de novos estudos sobre o assunto.

As produções das equipes comporão um portfólio que poderá, conforme o caso, ser exposto na instituição/escola ou postado na internet, se o trabalho com as fotografias tiver sido feito com máquinas digitais. Na forma virtual, o texto final dos jovens será escrito, por exemplo, em Power Point ou Word.

Hora de avaliar

Para avaliar, solicite a cada jovem que elabore uma lista com três conquistas de aprendizagem resultantes da atividade Organize você, educador, uma tabulação destas conquistas e acrescente essas informações ao portfólio com um parecer seu sobre o que foi feito e com idéias de aperfeiçoamento para outras ações como esta.

Para ampliar

O que mais pode ser feito?

Este trabalho poderá ser ampliado com entrevistas.

Moradores do bairro, autoridades políticas, representantes de associação de moradores, entre outros, poderão ser consultados sobre o tema (qualidade de vida no bairro) e também oferecer sua opinião acerca das conclusões dos jovens, expostas no portfólio.

Além disto, os jovens poderão divulgar, em programas de rádio da localidade, suas conclusões e o trabalho que fizeram.

Assim, estarão adensando movimentos em favor da conquista de melhorias na qualidade de vida dos cidadãos do bairro.

Uma conversa entre estes jovens e os de outras instituições/escolas também será bem vinda.

Em oportunidades como esta eles poderão apresentar seus aprendizados sobre o assunto investigado e sobre métodos e processos que utilizaram para conquistar novas aprendizagens.

Para saber mais

Algumas sugestões para auxiliar na oficina:

Contatos com fotos de revistas, jornais e / ou álbuns para:

 Analisar o ambiente principal foco da cena

 Perceber a luminosidade, as cores e o tamanho;

 Descrever os objetos e / ou as pessoas retratadas;

 Inferir a intenção do fotógrafo;

 Classificar fotos por semelhanças e diferenças;

 Construir legendas;

 Identificar lógica da distribuição de fotos e álbuns.

Entrevista com fotógrafos para se conhecer: o manuseio dr máquinas fotográficas digitais ou não e técnicas para se obter fotos de boa qualidade;

Experimentar antecipadamente a triagem de fotos.

Assim, possivelmente, os jovens estarão melhor preparados para compreender as fotos revelam escolhas e perspectivas do seus autores sobre aquilo que vêem.

Gostou?

Veja também a oficina” Nome das ruas: o que está por trás das placas?”, deste banco.

Obs: Os links informados na oficina foram visitados em 08 de setembro de 2015, às 15h30min.

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)