Educação&Participação

Construção de fanzines a partir de colagens.

Início

  • O que éO que é

    Construção de fanzines a partir de colagens.

  • PúblicoPúblico

    Crianças, adolescentes e jovens.

  • MateriaisMateriais

    Revistas e jornais recentes, de interesse das crianças, adolescentes e jovens, que possam ser recortados, tesouras e colas (em quantidade suficiente para todos os participantes), papéis coloridos variados, folhas de papel sulfite (calcule ao menos 10 por participante), exemplares de fanzines (caso seja possível).

  • EspaçoEspaço

    Uma sala ampla, onde as crianças possam se movimentar, com mesas e cadeiras.

  • DuraçãoDuração

    Duas sessões de 90 minutos.

  • FinalidadeFinalidade

    Estimular a leitura de revistas e jornais. Praticar a busca de informações e a pesquisa orientada. Desenvolver o prazer de ler e abordar textos informativos e jornalísticos. Estimular o trabalho cooperativo para construir um produto coletivo.

Na prática

fanzine

Como desenvolver

 

Sessão 1

Pergunte ao grupo se alguém já ouviu falar num tipo de revista chamado fanzine. Se sim, pergunte a quem se manifestar se ele sabe o que é e para que serve um fanzine.

Numa primeira rodada de conversa com o grupo, faça a seguinte questão: “Se nós fôssemos criar uma revista, de que assuntos ela trataria?”.

Anote as opções dadas. Depois sugira que o grupo se divida em equipes e proponha o trabalho: cada equipe produzirá um fanzine sobre um dos temas anotados. As equipes podem se agrupar por centros de interesse:  os que gostarem de jogos, poderão formar a equipe que fará o fanzine de jogos; os que gostarem de música, farão o fanzine de música, e assim por diante.

E se?

Se ninguém nunca tiver ouvido falar em fanzine, você explica ao grupo que esse tipo de revista trata de um tema do interesse de quem o produz, e tem por objetivo divulgar informações sobre esse tema para outras pessoas que também se interessam por ele. Você pode, conforme a idade dos meninos e meninas do grupo, falar sobre a origem da palavra, onde e quando surgiu a publicação e por quê. Após essas explicações iniciais, você pode propor ao grupo a construção de fanzines, dando início às ações da sessão 1.

Sendo possível, o grupo poderá pesquisar sobre fanzines na internet. Há inúmeras páginas e sites dedicados a esse tema, fáceis de encontrar a partir de uma rápida busca. Você também poderá levar, para esse início de trabalho, caso seja possível, alguns exemplares desse tipo de publicação.

Assim, será possível mostrar concretamente ao grupo exatamente do que se está falando (isso pode ser particularmente importante se o grupo for constituído por crianças com menos de 12 anos).

Espalhe as revistas e jornais no centro da sala e oriente as equipes a procurarem nessas publicações textos variados (notícias, reportagens, histórias em quadrinhos, classificados, charges, variedades jornalísticas de todos os tipos, imagens, fotografias, etc.) que tenham a ver com o tema escolhido pelo grupo. Sugira que cada equipe recorte e guarde os textos que interessarem.

Dê bastante tempo para essa atividade. Se quiser, ela pode se estender por mais de uma sessão. É importante que você saiba que esse momento da oficina será de grande efervescência: os jornais e revistas serão manipulados, lidos, remexidos, recortados; os grupos poderão trocar informações entre si; a sala pode ficar bastante animada. Deixe que explorem livremente os jornais e revistas, encoraje os mais tímidos a participar ativamente desse momento.

Quando perceber que cada equipe já tiver recortado uma quantidade considerável de textos, solicite que todos leiam atentamente os textos e que sejam selecionados, dentre os recortados, os que a equipe considerar mais interessantes. Esses textos serão a base do fanzine da equipe.


Sessão 2

Distribua as folhas de sulfite e os papéis coloridos às equipes e oriente-as a colarem os textos, imagens, fotografias etc., seguindo a ordem que acharem interessante. Essas folhas, dobradas ao meio e encartadas formam as páginas do fanzine.

Nesse momento, títulos para os textos poderão ser inventados, ilustrações complementares poderão ser feitas nas páginas, outros recortes de revistas e jornais poderão ser acrescentados.

Oriente a equipe a escrever um texto de apresentação, contando aos possíveis leitores o que encontrarão na revista e convidando-os a ler.

Feito isso, oriente as equipes a construir uma bonita capa, com um título bem sugestivo. Na contracapa, podem aparecer os nomes dos autores.

 

Hora de avaliar

Prontos os fanzines, promova uma última sessão em que você conversa com todos para que comentem o trabalho realizado. Nessa conversa, você os questiona sobre:

  • Os textos lidos das revistas e jornais pesquisados e recortados;
  • O assunto desses textos;
  • Se houve algo que lhes chamou atenção nessas revistas e jornais enquanto liam e pesquisavam: o que e por quê;
  • O que foi mais interessante de todo o trabalho realizado;
  • O que poderia ter ficado diferente.

Encerre os trabalhos expondo os fanzines organizados sobre uma mesa e fotografando-os. Essa fotografia pode ser divulgada num mural da instituição, com uma pequena notícia sobre o que foi feito.

Para ampliar

O que mais pode ser feito?

Você pode convidar outros grupos de crianças e jovens, bem como pessoas da comunidade, para conhecer os fanzines produzidos, organizando com eles uma pequena exposição.

Nesse momento, ocorrerá a divulgação do trabalho e os “autores” poderão conversar com os visitantes, relatando a experiência.

Essa experiência poderá dar origem a uma publicação da comunidade (em forma de panfleto, revista, fôlder ou jornal), para divulgar e comentar assuntos de interesse das pessoas que nela residem e/ou circulam.

Gostou?

Consulte a oficina “A fábrica de histórias”, neste banco, em que se propõe também a produção coletiva de textos escritos.

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 1 comentário(s)

  •    Etori Amorim  em 
         Educação&Participação respondeu em