Educação&Participação

Uma oficina que discute a arte e suas linguagens.

Início

  • O que éO que é

    Uma oficina que discute a arte e suas linguagens.

  • PúblicoPúblico

    Crianças e adolescentes.

  • MateriaisMateriais

    Fotos, revistas, folhas de papel pardo, canetas hidrográficas, pincéis, tinta, cola, tesoura, argila, roupas de diferentes épocas, instrumentos musicais mais simples de se conseguir como pandeiro, maraca ou mesmo outros improvisados.

  • EspaçoEspaço

    Na sala de atividades da instituição.

  • DuraçãoDuração

    Dois encontros de 90 minutos cada.

  • FinalidadeFinalidade

    Compreensão da arte como linguagem e como produto cultural do homem para expressar sentimentos, ideias e pensamentos..

  • ExpectativaExpectativa

    Conhecer as linguagens artísticas; desenvolver a sensibilidade estética; experimentar o fazer artístico, expressando ideias, sentimentos e pensamentos, por meio das linguagens artísticas; aprender a cooperar, a negociar e a cuidar do outro.

Na prática

arte

Como desenvolver?

Primeiro encontro: Reconhecendo diferentes manifestações artísticas.

Em roda, sentados no chão, convide-os a falar sobre arte: o que pensam que é arte? O que vem à mente quando escutam alguém falar sobre arte? Com que tipo de arte já tiveram contato? Conhecem algum artista ou algum grupo que faz arte? Ali, na comunidade onde vivem, há algum artista? O que ele faz?

Após falarem livremente sobre o que pensam, convide-os a procurar em revistas, em fotos, na internet, representações de manifestações artísticas e trazê-las para o grupo.

Estimule-os a fotografar, com máquinas fotográficas ou com seus celulares, esculturas, pinturas, manifestações de dança ou teatro com as quais eventualmente entrem em contato, no próprio bairro ou em outros lugares da cidade. Marque uma data para trazerem o material.

No dia combinado, espalhem os materiais pelo chão, no interior da roda e convide-os a olhar as várias imagens, admirá-las, com tempo, e contar o que os motivou a escolherem aquelas manifestações artísticas. Depois, proponha que agrupem as que têm alguma afinidade de conteúdo.

O processo ocorre no coletivo: uma pessoa mostra a foto e o grupo discute e decide onde colocá-la. Va perguntando a eles a razão de indicarem aquela foto ou gravura para aquele agrupamento específico, a fim de conhecer o critério que estão usando e ajudar na classificação.Terminado o trabalho, discutam o que caracteriza cada agrupamento: há marcas específicas de cada um? Registrem em um cartaz.

Muito provavelmente eles terão organizado grupos de dançarinos ( break, clássicos) / de músicos e cantores/de atores de teatro e novela / de desenhos, esculturas, grafites, pinturas e quadrinhos,dentre outras produções visuais.

Nomeie essas linguagens da arte: linguagem visual (se utiliza de imagens como a pintura, a escultura, o desenho, a gravura, a fotografia, o cinema, o vídeo, a televisão); cênica ou teatral ( se utiliza de expressões corporais e gestos); musical ( se utiliza de sons) e a da dança ( se utiliza do movimento humano).

Observe que, como todo produto humano, a arte tem um caráter histórico. Assim, a concepção de arte e do que se considera uma obra de arte pode mudar de uma época para outra. Foi o que aconteceu com as artes plásticas, por exemplo: pintura, escultura, desenho, gravura. Com os avanços tecnológicos, foram incorporados no conceito de arte a fotografia, o cinema, o vídeo, a computação gráfica, o design, dentre outras manifestações, que passaram a compor um campo maior denominado artes visuais.

Segundo encontro: Experimentando as linguagens da arte

Nesta sessão, a proposta é que representem os sonhos sonhados para o território em que vivem, ao final da oficina “ Uma expedição pelo bairro”, em uma das linguagens da arte.

E se ?
Se você não realizou a oficina, proponha que, em grupos, escolham algo na sua comunidade de que gostem muito ou algo de que não gostem e que gostariam de transformar.

Combinem o que cada um pode trazer de casa para colaborar nas produções dos grupos, em relação às quatro linguagens: das artes visuais, do teatro, da dança e da música como chapéus, roupas de época, bolsas usadas, guarda-chuvas, luvas, sapatilhas, sapatos antigos, maquiagem, instrumentos musicais improvisados etc. Tentem arrumar um baú para guardar tais objetos, deixando-os disponíveis na sala. Disponibilize também papel, tinta, tesoura, revistas, cola, argila.

Cada um escolherá uma das quatro linguagens, compondo quatro grupos: um para a dança, um para o teatro, um para a música e um para as artes visuais. Neste último grupo, os participantes decidem que modalidade de arte visual vão utilizar: pintura, escultura, desenho? Ninguém deve trabalhar com uma linguagem com a qual não se sinta à vontade.

Não deixe os grupos sozinhos. Acompanhe o passo a passo de cada um para poder ajudá-los nas escolhas e na elaboração do tema.

Quando os grupos finalizarem a sua criação, dê início às apresentações. Combinem algumas atitudes importantes como acolher e respeitar o grupo que se apresenta, fazer silêncio e observar bem como estão utilizando a linguagem escolhida para discutirem depois.

Organize o palco e a platéia para o teatro, a dança e a música e um espaço para exporem as produções das artes visuais.
É hora de avaliar

Após cada apresentação, incentive a platéia a analisar: no caso das artes visuais – o uso simbólico das cores, das linhas, das formas (que cores usaram e o que elas queriam expressar: alegria, tristeza, angústia, raiva? No caso da música: usaram sons fortes, fracos, para dizer o quê? No teatro, os gestos eram doces, suaves, agressivos- por quê? Para expressar o quê? E no caso da dança, como foi a ocupação do: usaram o espaço inteiro do palco ou só uma parte, em que momentos? A coreografia da dança expressou o quê? Que sentimentos provocou?

Os autores da apresentação também comentarão sua obra: como usaram os recursos e elementos expressivos de cada linguagem artística para expressar idéias e sentimentos. Nesse momento também se manifestam a respeito de como se sen

Para ampliar

O que mais pode ser feito?

Pode-se investigar a existência de algum artista  morador  do território   (pintor(a), grafiteiro(a), dançarino(a), cantor(a) ou compositor(a), ator ou atriz e convidá-lo a vir conversar com o grupo  sobre sua concepção de  arte e sobre seu trabalho artístico.

Uma vez aceita a proposta, o grupo discute as perguntas que gostaria de fazer e distribui entre si as tarefas, com a sua ajuda: quem faz o convite, como se organizam para as perguntas ( quem pergunta o quê ), como vão registrar ( no papel, no computador?), quem agradece,no final. Veja um exemplo de perguntas que podem ser feitas, clicando aqui.

 

Para saber mais

A arte é linguagem e, como toda linguagem, é um produto cultural. Foi construída pelo homem, ser simbólico, para representar e comunicar aos outros como vê, sente e entende o mundo.

A arte existe desde que o homem sentiu necessidade de representar o que sentia ou pensava. Há mais de 25000 anos, desenhava e pintava animais nas cavernas ( mamutes,bisões, cavalos). Essas pinturas, denominadas ruprestes ( feitas em pedras, nas rochas, com minerais e plantas) podem ser vistas ainda hoje na Espanha, França, regiões da África e no Brasil ( Minas Gerais e Piauí).

A arte é tão linguagem como a língua portuguesa, só que esta se utiliza de signos verbais como o alfabeto e sinais de pontuação, enquanto a arte utiliza especialmente signos não verbais como cores, formas, gestos, sons, movimentos etc.

Da mesma forma que precisamos conhecer e nos apropriar dos códigos da língua portuguesa para ler, produzir e apreciar textos verbais, precisamos também nos apropriar dos códigos da arte para podermos ler, produzir e apreciar as diferentes manifestações artísticas. Aprender uma linguagem implica, portanto, conhecer seus códigos, desvelar seus sentidos, ampliar referências por meio do contato com várias produções.

Estamos falando da arte como um campo de conhecimento geral; na verdade, existem várias linguagens artísticas: as artes visuais que compreendem o desenho, a pintura, a escultura, o desenho animado, o design e outras manifestações que envolvem imagens; o teatro; a dança; a música.

Avaliação em arte

A avaliação existe para nos darmos conta do que aprendemos e do que ainda nos desafia. Assim, ela deve ser cuidadosa, zelando pelas palavras ditas e como são ditas.Além disso, como arte não é adivinhação, não tem certo ou errado, poderá haver várias leituras da mesma apresentação. Isso não significa que a platéia não entendeu a intenção dos autores ou não saiba fazer leitura da obra ou ainda que os autores não conseguiram fazer arte. A fruição estética não é igual para todos. O importante é que aprendam que há várias linguagens artísticas e elas são usadas intencionalmente para expressar idéias e sentimentos. E que ninguém nasce artista, mesmo que tenha talento e goste muito de arte. Arte também se aprende e exige estudo e dedicação. E ali, estamos apenas experimentando o fazer artístico.

Fonte de Referência:
ARTES Visuais e Cênicas [Maria Therezinha T.Guerra]. São Paulo: Cenpec; Febem-SP; SEE-SP, 2002. (Educação e Cidadania, 6).
Gostou?

Acesse o link e veja um divertido vídeo sobre as quatro linguagens da arte produzido por alunos da pós-graduação da USP.

Obs: Os links informados na oficina foram visitados em 04 de setembro de 2015, às 16h.

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)