Educação&Participação

Jogo de futebol com vassouras, no qual as crianças são estimuladas a desenvolver a atenção e a coordenação corporal, a se deslocar em espaços reduzidos e a lidar com situações improvisadas.

Início

  • O que éO que é

    Jogo de bola, em equipe.

  • PúblicoPúblico

    Crianças.

  • MateriaisMateriais

    Quatro bolas, oito vassouras, oito cadeiras, giz.

  • EspaçoEspaço

    Na quadra.

  • DuraçãoDuração

    Aproximadamente 90min.

  • FinalidadeFinalidade

    Aprender a dividir o espaço disponível para movimentação adequada de todos e lidar com situações improvisadas.

  • ExpectativaExpectativa

    Desenvolver a atenção e a coordenação corporal; aprender a se deslocar, movimentando-se em espaços reduzidos.

Na prática

vassourabol

Como desenvolver?
Converse com as crianças sobre os jogos de bola que conhecem e com os quais costumam brincar. Como são esses jogos? Quais são as regras? De que precisam para jogar? Alguém da turma já teria inventado um jogo diferente, bem diferente mesmo, desses que a gente conhece e que ninguém jogou? Se sim, peça que conte.

Pergunte se já viram um jogo de bola com vassoura. Não? Pois, nesta oficina, eles vão jogar. Imaginam como seja? Deixe que deem asas à imaginação. Quando se acalmarem, explique que é um jogo de futebol jogado entre duas equipes e que cada equipe joga com uma bola e com uma vassoura. É um jogo bem diferente e bem divertido!

Aceita a proposta, problematize: Como todos podem jogar ao mesmo tempo, para que alguns não tenham que esperar por sua vez, enquanto outros jogam? Dê um tempo para pensarem, até concluírem que o melhor é dividir a quadra em quatro miniquadras, no sentido do comprimento, desenhando uma linha central em cada uma delas, com giz.

Forme, assim, oito equipes. Cada duas equipes jogarão em uma das miniquadras e terão um juiz, que será escolhido por sorteio.

E se?

Se a criança sorteada não quiser assumir o papel de juiz, não force. Faça outro sorteio e estimule-a numa próxima vez.

Coloque uma cadeira em cada linha de fundo das miniquadras, que servirá como gol. Sobre cada cadeira, coloque uma vassoura. Na linha do centro da miniquadra, coloque uma bola.

As equipes serão numeradas pelos juízes, com números iguais de ambos os lados (por exemplo, os membros das duas equipes são numerados de 1 a 4), e cada uma se posicionará na linha de fundo da miniquadra, com um jogador ao lado do outro, em ordem numérica.

A brincadeira começa com um apito seu. Os juízes, então, devem dizer um número dentre os que numeram os jogadores das suas duas equipes. Os jogadores de cada equipe, correspondentes a esse número, pegam a vassoura da cadeira e vão para o meio do campo empurrar a bola com ela, tentando fazer gol no campo do adversário.

Assim que alguém fizer um gol, os jogadores dos dois times voltam para a linha de fundo, depositam a vassoura na cadeira, a bola na linha do centro e se posicionam com os outros jogadores. O juiz diz, a seguir, outro número, correspondente a outros dois jogadores das equipes, que tentarão “varrer” a bola para o gol do adversário, e assim por diante. Após quinze minutos de rodada, troque os times de campo e recomece a brincadeira.

Hora de avaliar
Depois de aproximadamente 30min, termine a brincadeira e convide-os a sentarem-se para falar dela: Gostaram? Foi fácil ou foi difícil “varrer” a bola? Por quê? O que acharam de jogar um jogo totalmente desconhecido? Como foi a convivência durante o jogo? Houve atitudes inadequadas que dificultaram a realização do jogo? O que aprenderam com ele, além de jogar futebol com vassoura?

Para ampliar

O que mais pode ser feito?
Em grupos, as crianças podem criar muitos outros jogos com bola, com outras formas de jogar. Esses jogos podem ser supervisionados por um professor de Educação Física e jogados nas aulas dessa turma e de outras. Poderão também ser divulgados em blogs do pessoal.
Para saber mais
A brincadeira permite à criança vivenciar o lúdico e descobrir a si mesma, apreender a realidade, tornando-se capaz de desenvolver seu potencial criativo (SIAULYS, 2005)*.Cada vez mais, a brincadeira é considerada essencial ao desenvolvimento infantil, principalmente com a crescente realização de pesquisas sobre o desenvolvimento humano, cujas descobertas têm repercutido na legislação e nas práticas educacionais com crianças. Assim, no Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (1998)*, a brincadeira é colocada como um dos princípios fundamentais, defendida como um direito, uma forma particular de expressão, pensamento, interação e comunicação entre as crianças.Para Vygotsky (1998)*, a brincadeira de faz de conta cria uma zona de desenvolvimento proximal, pois no momento em que a criança representa um objeto por outro, ela passa a se relacionar com o significado a ele atribuído, e não mais com ele em si. A brincadeira é de fundamental importância para o desenvolvimento infantil, na medida em que a criança pode transformar e produzir novos significados. É possível observar que rompe com a relação de subordinação ao objeto, atribuindo-lhe um novo significado, o que expressa seu caráter ativo, no curso de seu próprio desenvolvimento (BRANCO; MACIEL; QUEIROZ, 2006)*.*As referências completas podem ser encontradas nos artigos indicados abaixo.
Fontes de referência

QUEIROZ; Norma Lucia Neris; MACIEL, Diva Albuquerque; BRANCO, Angela Uchôa. Brincadeira e desenvolvimento infantil: um olhar sociocultural construtivista. Paidéia, Ribeirão Preto, v. 16, n. 34, p. 169-179, 2006.
QUARESMA, Priscilla Mayara de Andrade. A relação entre o brincar e o desenvolvimento infantil, segundo professoras.
Mapa do brincar: brincadeiras.

Gostou?

Então acesse a oficina Minivôlei, deste Banco.

 

Obs: Os links informados na oficina foram visitados em 21 de maio de 2015 às 17:40:17.

Participe

Eu fiz assim…

Você já realizou esta oficina?
Nos comentários abaixo, conte para nós: o que deu certo? O que precisou ser modificado? O que foi ampliado? Ajude a plataforma a aprimorar o Banco de Oficinas!

Faça um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Total de 0 comentário(s)